Aliencake

Foi numa tarde de sábado, de encontros, reencontros e desencontros, de estreia literária e café, tudo prolongado em noite, jantar e mais café, ficando no entanto curto o tempo. De súbito, aparece-me pela frente um bolo com a minha cara. Um bolo com rosto de Alien. Olhei-o uma e outra vez, e só não me belisquei porque dói um bocado, convenhamos. Mesmo a aliens. As pessoas cantavam os parabéns e batiam palmas, eu ouvia e agradecia, mas mal tirava os olhos do bolo. Fizeram-me pegar nele com uma mão, perante a apreensão de alguns circunstantes, e conduzi-lo, ou deixar que me conduzisse, à mesa improvisada. Vivendo desde sempre em terrível dúvida sobre a minha origem e condição, houve um instante luminoso em que tudo se revelou. "Sou um bolo, afinal sou um bolo!" - exclamei para mim mesmo, entre alguma perplexidade e o alívio de uma certeza há muito tempo aguardada. Foi sol de pouca dura. Lá tive que partir o bolo. Lá tive que me cortar à faca em fatias que rapidamente desapareceram. Ao que parece, estava bom, eu. O facto é que, apesar disso, ainda estou vivo. Não serei, então, um bolo? Serei apenas a recordação dele? Felizmente, a fotógrafa estava lá. Serei assim talvez a fotografia de um bolo. Há piores destinos. Há piores fins de tarde-noite de sábados de lançamentos de livros, encontros, reencontros, desencontros, jantares, cafés, aniversários e ainda mais. Muito, muito piores, garanto-vos.

16 de ago de 2008

Lombo bem "tempurado"

Com os meus agradecimentos à Lola, responsável pela entrada ou primeiro prato, como queiram, e à Vanda, que me ofereceu a receita do "prato forte".

Comecemos pela Tempura, e vamos lá ver em que consiste:

"Tempura é um prato clássico da culinária japonesa. Consiste de pedaços fritos de vegetais ou mariscos envoltos num polme fino. A fritura é realizada em óleo muito quente, durante apenas cerca de dois ou três minutos.
A tempura foi introduzida no Japão por missionários portugueses e espanhóis, durante o século XVI. A palavra tempura poderia ter sido derivada tanto da palavra portuguesa "tempero" (ou do verbo temperar) como de "têmporas", nome que designa os períodos de jejum realizados no catolicismo, tais como a Quaresma (chamada em latim de quadragesima tempora), onde tradicionalmente os fiéis se abstinham do consumo de carnes, preferindo comer vegetais e peixes.
Hoje em dia ainda existe um prato em Portugal muito semelhante à tempura, denominado peixinhos da horta, que consiste de pedaços de feijão-verde fritos envoltos num polme geralmente mais espesso que o da tempura. " Peixinhos da horta, quem diria :))) E que delícia!


Tempura de camarão tigre e legumes (Lola)


tempura de camarão tigre
Ingredientes para 2 pessoas:

4 camarões tigre
1/2 courgete

4 feijões verdes

1/2 beringela

1/2 pimento encarnado

Óleo para fritar

Para o polme:

330 gr de farinha
1/2 l de água

6 gr de fermento instantâneo

8 gr de açúcar
8 gr de sal


Preparação:


1. Cortar os legumes em tiras da grossura de um dedo e retirar a casca do camarão deixando apenas a cabeça e o rabo.
2. Misturar com a varinha mágica todos os ingredientes do polme e deixar repousar durante 30 minutos
.
3. Passar os legumes pelo polme e fritar em oleo bem quente.


A farinheira
... vem de farinha, embora também possa ser feita com pão. "Sempre à base das carnes entremeadas do porco, as farinheiras podem incluir pão ou farinha, e os temperos de colorau, massa de pimentão, vinho e sumo de laranja.
" Quanto ao lombo de porco, de onde virá? :) Talvez do talho...


Lombo de porco com farinheira (Vanda)


Ingredientes:

1 lombo de porco
1 farinheira

sal qb

azeite qb

paprika (só uns pós)
alho (6 ou 7 dentes)
Louro (1 folha)

Salsa - dois ou três pés

Mel (uma colher de sopa bem cheia)

Malagueta - 1 (para os apreciadores)

Vinagre Balsâmico (muito, pois que é dele que se fará o molho!!!!)


Modo de preparação:


Dar dois golpes (em cruz) no centro do lombo a todo o comprimento do mesmo, para que se possa introduzir no seu interior a farinheira...

Já com a farinheira "arrumadinha no lombo" (ao comprarem o lombo ter atenção à altura e comprimento do mesmo), polvilhar de paprika, sal e adiccionar os alhos, o louro, a malagueta, a salsa.


Cobrir o lombo com mel e regar com vinagre balsâmico.


Deitar o azeite (podem ainda e também acresentar uma colher de sobremesa de banha ou de margarina) e deixar ficar a tomar gosto algumas horas.


- À parte da receita: num copo, deitar um bom Favaios e dar ínicio ao ritual :) que se segue:


Levar ao forno a 175º (ter atenção para que o lombo não cozinhe demais e não fique seco) e caso seja necessário vai-se acrescentando um pouco de água, mexendo o fundo do tabuleiro para que o vinagre e os condimentos não sequem ou caramelizem.
Talvez 40 minutos sejam suficientes, ou talvez uma hora, depende da largura do lombo e do calor do forno :)

Lembrança à ultima da hora: Também já experimentei utilizar cachaça em vez do vinagre balsâmico e ficou uma delícia :)


Como sempre, aceitam-se sugestões e adições.

Como esta sobremesa, que também agradeço à Lola.

Tiramisù

Ingredientes:

4 ovos
8 colheres de sopa de açúcar
2 folhas de gelatina
400 gr de queijo Mascarpone
1 dl de rum
12 palitos La Reine
2 dl de café forte
2 colheres de sopa de chocolate em pó

Modo de Preparação:
Junte as gemas com 4 colheres de sopa de açúcar. Leve ao lume mexendo sempre, até ficar bem espesso.
Demolhe as folhas de gelatina em água fria.
Retire o creme de gemas do lume e junte-lhe a gelatina, depois de bem escorrida. Deixe arrefecer.
À parte bata o queijo com duas colheres de sopa de açúcar. Bata as claras em castelo, juntando-lhes as duas colheres de sopa de açúcar que faltam.
Misture o queijo com o preparado das gemas, em seguida o rum e por último envolva as claras.
Mergulhe o palitos La Reine no café, e disponha-os numa travessa, alternando com o creme (comece e acabe com o creme).
Leve ao frigorífico, entre seis a oito horas.
Sirva o Tiramisù bem fresco e polvilhado com chocolate em pó

BOM APETITE!