Aliencake

Foi numa tarde de sábado, de encontros, reencontros e desencontros, de estreia literária e café, tudo prolongado em noite, jantar e mais café, ficando no entanto curto o tempo. De súbito, aparece-me pela frente um bolo com a minha cara. Um bolo com rosto de Alien. Olhei-o uma e outra vez, e só não me belisquei porque dói um bocado, convenhamos. Mesmo a aliens. As pessoas cantavam os parabéns e batiam palmas, eu ouvia e agradecia, mas mal tirava os olhos do bolo. Fizeram-me pegar nele com uma mão, perante a apreensão de alguns circunstantes, e conduzi-lo, ou deixar que me conduzisse, à mesa improvisada. Vivendo desde sempre em terrível dúvida sobre a minha origem e condição, houve um instante luminoso em que tudo se revelou. "Sou um bolo, afinal sou um bolo!" - exclamei para mim mesmo, entre alguma perplexidade e o alívio de uma certeza há muito tempo aguardada. Foi sol de pouca dura. Lá tive que partir o bolo. Lá tive que me cortar à faca em fatias que rapidamente desapareceram. Ao que parece, estava bom, eu. O facto é que, apesar disso, ainda estou vivo. Não serei, então, um bolo? Serei apenas a recordação dele? Felizmente, a fotógrafa estava lá. Serei assim talvez a fotografia de um bolo. Há piores destinos. Há piores fins de tarde-noite de sábados de lançamentos de livros, encontros, reencontros, desencontros, jantares, cafés, aniversários e ainda mais. Muito, muito piores, garanto-vos.

19 de abr de 2010

Bifinhos de Peru Primavera

Por vezes as coisas acontecem assim mesmo... estou com uma fome danada, e vá de procurar receitas de cozinha rápida. Encontrei esta, e não resisti a publicá-la, quero dizer, copiá-la para aqui. Fiquem com os bifinhos, que eu vou ver se janto!


Ingredientes para 4 pessoas:
400 g de bifes de peru 
50 g de margarina ou manteiga
sal
pimenta grossa
1 alho francês
1 lata de cogumelos em lâminas
200 g de fettucine
2 dl de natas
150 g de queijo ralado em fios
mangericão fresco

Preparação:
Corte os bifinhos de peru em tiras finas e aloure-os numa frigideira com manteiga ou margarina. Tempere com sal e pimenta grossa.
Corte o 
alho francês em rodelas, lave e escorra muito bem. Junte aos bifinhos de peru e deixe saltear cerca de 5 minutos. Adicione os cogumelos bem escorridos e deixe saltear mais 10 minutos.
Entretanto, coza o 
fettucine em água temperada com sal. Escorra e coloque na taça em que vai servir. Junte as natas aos bifinhos de peru e, logo que começar a ferver adicione o queijo, misturando bem. Deite sobre a massa e mexa. Polvilhe com manjericão picado e enfeite com algumas folhinhas inteiras.

Vinhos? Sobremesas? É convosco! Fico à espera de sugestões. Bom apetite!


* * *


Uma primeira sugestão que me foi oferecida fora do blog, e me parece uma boa alternativa:  Trocar a margarina ou manteiga por azeite e inverter a ordem dos ingredientes: saltear primeiro os cogumelos, retirá-los, e depois, nesse "caldo", estalar a carne. Usar metade das natas e o outro meio de vinho do Porto ou, melhor ainda, Madeira, mais seco.

E ainda... 
  • Da Lizzie            
    • Sobremesa: uma fatia de bolo de maçã e cacau puro, sem açúcar interno ou externo, daqueles que os ingleses sempre comem ao pequeno almoço 
    • Diversos para entrada (com vinho): sopa de cação servida em tigela de barro ASAEmente incorrecta, com pão digno do nome velho de três dias, ligeiramente torrado, a boiar como náufrago assumido, mais um queijo de Évora, daqueles com muito cardo, tudo isto acompanhado com um Blasón de Turra branco e transparentíssimo.
  •  Da Justine: Sobremesa: cachos de flores de glicínias, apenas para snifar e seguir para    uma sesta numa embriaguês suave e doce! (sic!!!) 
  • Da Gasolina (também sic):  
    • Vinho: Aposte-se num vibrante vinho para despertar do amanteigado das natas: João Pires, branco, gelado, continuado frapé.
    • (intervalo para alimpar os beiços)
    •  Sobremesa: Sai uma colorida sobremesa de crepe com doce de groselhas (pode ser amoras silvestres) e uma rechonchuda bola de gelado de menta. En negligé, uma folhinha de hortelã esverdeando o níveo polvilhado de um açúcar, só para encher o olho.
    • Café: Café, conversa, mais conversa.
  •   Da Arabica: 
    • Entrada: Mexilhões (como cada um os prefira:)


    Os meus agradecimentos pela colaboração! E continuação de bom apetite!