Aliencake

Foi numa tarde de sábado, de encontros, reencontros e desencontros, de estreia literária e café, tudo prolongado em noite, jantar e mais café, ficando no entanto curto o tempo. De súbito, aparece-me pela frente um bolo com a minha cara. Um bolo com rosto de Alien. Olhei-o uma e outra vez, e só não me belisquei porque dói um bocado, convenhamos. Mesmo a aliens. As pessoas cantavam os parabéns e batiam palmas, eu ouvia e agradecia, mas mal tirava os olhos do bolo. Fizeram-me pegar nele com uma mão, perante a apreensão de alguns circunstantes, e conduzi-lo, ou deixar que me conduzisse, à mesa improvisada. Vivendo desde sempre em terrível dúvida sobre a minha origem e condição, houve um instante luminoso em que tudo se revelou. "Sou um bolo, afinal sou um bolo!" - exclamei para mim mesmo, entre alguma perplexidade e o alívio de uma certeza há muito tempo aguardada. Foi sol de pouca dura. Lá tive que partir o bolo. Lá tive que me cortar à faca em fatias que rapidamente desapareceram. Ao que parece, estava bom, eu. O facto é que, apesar disso, ainda estou vivo. Não serei, então, um bolo? Serei apenas a recordação dele? Felizmente, a fotógrafa estava lá. Serei assim talvez a fotografia de um bolo. Há piores destinos. Há piores fins de tarde-noite de sábados de lançamentos de livros, encontros, reencontros, desencontros, jantares, cafés, aniversários e ainda mais. Muito, muito piores, garanto-vos.

21 de mar de 2006

Dia Mundial da Poesia


Para assinalar aqui a data, escolhi um poema de Sophia de Mello Breyner Andresen. Este poema, como exemplo. Esta autora, como muitas outras e outros. Como escreveu Celaya, "La poesia es un arma cargada de futuro". Que a poesia nos ajude a construir esse futuro, apenas para que ele exista.

Que nenhuma estrela queime o teu perfil
Que nenhum deus se lembre do teu nome
Que nem o vento passe onde tu passas.

Para ti criarei um dia puro
Livre como o vento e repetido
Como o florir das ondas ordenadas.

4 comentários:

Cila disse...

alien
que belo poema escolheste:)
beijos

Alien8 disse...

Cila,
Obrigado. Gosto muito deste poema, e de muitos outros da Sophia.
Beijos.

Cristina disse...

alien!!!!

é incrivel...sabes que estive indecisa entre um e outro??

espantoso :)))))

lindo. beijinhos.

Alien8 disse...

Cristina,
Não acho nada incrível, é evidente que somos uns peixes muito parecidos :)))
Beijos e bom trabalho.