Aliencake

Foi numa tarde de sábado, de encontros, reencontros e desencontros, de estreia literária e café, tudo prolongado em noite, jantar e mais café, ficando no entanto curto o tempo. De súbito, aparece-me pela frente um bolo com a minha cara. Um bolo com rosto de Alien. Olhei-o uma e outra vez, e só não me belisquei porque dói um bocado, convenhamos. Mesmo a aliens. As pessoas cantavam os parabéns e batiam palmas, eu ouvia e agradecia, mas mal tirava os olhos do bolo. Fizeram-me pegar nele com uma mão, perante a apreensão de alguns circunstantes, e conduzi-lo, ou deixar que me conduzisse, à mesa improvisada. Vivendo desde sempre em terrível dúvida sobre a minha origem e condição, houve um instante luminoso em que tudo se revelou. "Sou um bolo, afinal sou um bolo!" - exclamei para mim mesmo, entre alguma perplexidade e o alívio de uma certeza há muito tempo aguardada. Foi sol de pouca dura. Lá tive que partir o bolo. Lá tive que me cortar à faca em fatias que rapidamente desapareceram. Ao que parece, estava bom, eu. O facto é que, apesar disso, ainda estou vivo. Não serei, então, um bolo? Serei apenas a recordação dele? Felizmente, a fotógrafa estava lá. Serei assim talvez a fotografia de um bolo. Há piores destinos. Há piores fins de tarde-noite de sábados de lançamentos de livros, encontros, reencontros, desencontros, jantares, cafés, aniversários e ainda mais. Muito, muito piores, garanto-vos.

27 de set de 2006

Caldeiradas de não saber

Com
esta
toalha
se
pode
ornamentar
a
mesa
com

na
marinhagem.


Depois, escolhe-se o barco
de papel,
que em breve será certo
e rumará
connosco onde quisermos.


Na
banheira
teríamos
o
clássico.
Procuremos,
porém,
outros
horizontes,
mais
propícios
às
propostas


tentadoras
que
em
alto
mar
se
consumam,
se
consomem,
sob o
olhar
agudo
da ave
a quem
a Vanda
prometeu
legumes
ao vapor e veio.





"_______________continuando a não saber sei que todo o entretanto já valeu a pena.
como se a viagem nunca iniciada fosse o prenome que afixo no vento." - escreveu A rasar o céu.

E eu, pedindo licença, subscrevo.


Se sabemos que não sabemos, que deixámos de saber, sabemos talvez que nunca mais saberemos.

Em todo o caso, algo sabemos. E o que não sabemos faz parte da viagem; não o sabemos precisamente porque algo já soubemos.

O que era nunca pode passar a talvez. Poderá o
que era talvez passar a nunca?

Como saber? Como deixar de saber?



Pode bem acontecer que, como li algures, tenhamos saído num qualquer apeadeiro.

Mas o comboio continua em viagem. Importará muito sabermos para onde?

Não, enquanto soubermos ________________________ afixar prenomes no vento.

58 comentários:

Teresa Durães disse...

continuo sem neurónios para entender à parte da caldeirada que é fácil, come-se.

prenome num vento. aventar?

(espero que amanhã haja um milagre farmaceutico...)

a rasar o ceu disse...

"é doce morrer no mar" como um adolescente ou um doente (adentro...lembras?)...é doce re.encontrar o caminho para dentro.
da surpresa. de saber. que sabes o indizível. porém sentível. que lês.que leste. por aí. em telas azuis. que o tempo trouxe de novo à maré alta.

ah se eu soubesse fazer assim um post...!

dizer assim o nome das coisas desdizendo o desnecessário.

______________e vou.com Cesária. para águas outras. cálidas. musselinas.

Beijo.
__________

P.S.
Acho que uma vez por mês vou pedir um post...:)))))
___________

obrigada.

sabr disse...

Pois, caldeiradas...bom dia K'mrd, abraços.

Visi disse...

Ola!! VENHO CONVIDAR-TE A PARTICIPAR NO MEU DESAFIO! VÁ LÁ...

BEIJOS E...USA A IMAGINAÇÃO QUE NÃO TE FALTA!!!

Teresa Durães disse...

vim reler. (pode ser que a inteligência tenha medrado. ou por aí. (continuo a perceber bem a parte da caldeirada, interessante! E nem sou pessoa que ligue a comida)

Como diz a física - o universo expande, a luz nunca alcança o seu fim, e dilata (será assim?) - a eterna correria - para onde? Não interessa desde que avente

Vanda Baltazar disse...

E eu uma toalha lavada :)

-no entretanto do tempo, ficamos nós.... não! desculpa! o comboio é que "avariado de velho" ficou no apeadeiro :) nós seguimos, seguimos sempre, foram pedras foram rosas foram barcos de papel e asas de arribação :) mas seguimos :)

Para a terra do nunca? do sempre? que interessa? seguimos :)

-valha-nos a caldeirada, que já morremos de fome :)


Cada vez me identifico mais com os extraterrestres :)


Beijo :)

Vanda Baltazar disse...

Confesso: fiquei derretida :)

wind disse...

Alien 8, sem sombra de dúvidas o teu melhor post!
Claro que não importa para onde , porque ainda conseguimos/sabemos colocar (no meu caso), Isabel, antes de wind:))))
Beijos

Vanda Baltazar disse...

Teresa, estarás tu a sentir na carne a tentação do peixe? ;)))

Van

wind disse...

Agora em casa ouvi a música e chorei.lol
beijos

Alien8 disse...

Teresa,
Prenomes, prefixos, que importa?
Parti das palavras que citei, de "A Rasar o Céu": "Como se a viagem iniciada fosse o prenome que afixo no vento". Provavelmente extrapolei. Viagem iniciada, prenome, prefixo se quiseres. Mas sempre te direi que aventar (também) é preciso.
Registo com gosto a tua atracção pela caldeirada :P
Boa noite e bons neurónios! (LOL!)

Alien8 disse...

Isabel,

Se soubesses...? Mas é evidente que sabes, já li posts teus :) Assim e bem melhor do que assim.

Um post por mês? Pedir não custa :)))

Fica com a canção.

Um beijo.

Alien8 disse...

Sabr,
Caldeiradas, pois.
Um abraço.
Uma boa noite.

maloud disse...

Que tristeza ver o comboio a afastar-se e nós no cais, sempre à espera de Godot.

Alien8 disse...

Visionária,
Quando souber qual é o desafio, logo verei se estou com imaginação. Neste momento a coisa está turva, mas pode melhorar :)
Obrigado pelo convite.
Um beijo.

Alien8 disse...

Vanda,
Então o comboio apeou-se? :))
Acontece, acontece. É uma excelente ideia. E nós lá vamos, de caldeirada em caldeirada. Sim, que essa da fome é muito séria.
Os extraterrestres agradecem :)
Um beijo.

Alien8 disse...

Wind,
Muito, mas mesmo muito bem visto!:)) Isabel antes de Wind, pois claro.
Obrigado :)
Beijos.

Alien8 disse...

Vanda,
De novo, só para salientar a espectacular pergunta à Teresa.
Loooooooooool!!!!

Alien8 disse...

Wind,
Também de novo, só para te dizer que acontece aos melhores :)

Alien8 disse...

Maloud,
De facto. Valha-nos, porém, a caldeirada. As caldeiradas :)
Bisous.

Vanda Baltazar disse...

-De fomes, tentações e caldeiradas se vai fazendo a viagem, a bem dizer :))

Não AINDA não é assim...será algum dia? Não sei.
Mas tenho fé nos homens.
Espero sempre que algo de bom aconteça...!
Que o Pai Natal apareça fora de horas e coisas no g+enero ;))
Não custa tentar, dar o meu melhor:) pior seria o reverso, arrastar-me, perder-me em conversas de subúrbio ou deprimir. É que para depressões nunca tive pachorra...nem mesmo quando ando deprimida! :))


Beijos

Van

Teresa Durães disse...

nem carne nem peixe obrigada

boa noite

Teresa Durães disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
a rasar o ceu disse...

s
e
m



!!!!!!!!!!!!

sabr disse...

Bom dia, bom fim de semana, abraço, Alien.

Anônimo disse...

Sei que nada SEI, mas adorei.

jokas grandes

emn***

Tuche disse...

Meu Deus, estou maravilhada...

E a música, ameiiiiiiiiii

Beijo meu amigo e bom fim de semana

Vanda Baltazar disse...

Bom dia :)


Bom fim de semana :)


Boa viagem :)

Vanda Baltazar disse...

Para que não haja direito a confusões :)


Não ter "pachorra" para a depressão é fazer tudo ao meu alcance para melhorar a situação (minha ou de outra pessoa, passando por medicamentos, tempo, espaço, atenção, dialogo e respeito) !!!!

Não ter pachorra para a depressão é não alimentar o medo, a tristeza, é não deixar que os outros caiam num buraco negro (ou pelo menos tentar que não caiam) é não me deixar eu também cair, procurar ajuda médica, remedios, soluções, pessoas que me animem, que me facam rir, respigar sentimentos em mim que me facam acreditar que amanhã é um novo dia, que amanha já nem tudo é negro, fooogo, que o que sinto naquele dia, momento, seja que espaço de tempo for, é temporário e que hei-de voltar a agarrar a vida!

Não ter pachorra para a depressão é pôr os anti corpos (mentais, psicológicos e de miligramas) a trabalharem e com calma esperar o novo bater de asas :)


Aqui esta a minha tradução da falta de pachorra.

A culpa é minha, porque sei que me exprimo de uma forma muito minha, com palavras muito minhas e a maior parte das vezes em sentido figurado :) e com sentido de humor :) que é um óptimo anti-corpo, também.

Se magoei alguem as minhas mais sinceras desculpas.

Como vêm, não há caso para alarme.

Van

Vanda Baltazar disse...

Alien, lavo os copos e mudo os cinzeiros ou estou dispensada?
Beijinho e desculpa, sim?

Cila disse...

alien
que boa musica para acompanhar esta viagem por diversos mundos... muito agradaveis

beijinhos para os convivas e para o timoreiro desta embarcaçao:):)

Mocho Falante disse...

olha adorei a originalidade deste post e deixa-me dizer-te mais...não gosto de Cesaria Évora mas esta música arrebatou-me completamente

um grande abraço

Alien8 disse...

Vanda,
Começando pelo fim, estás dispensada :)

É excelente a tua atitude perante as depressões, mas infelizmente nem todas as pessoas conseguem, por razões absolutamente respeitáveis, atacá-las do mesmo modo. Mesmo não tendo pachorra para elas :)

Esperemos, entretanto, o Pai Natal fora de horas e o mais que nos surpreenda pela positiva e nos mostre que a esperança que ainda temos de algum modo se justifica.

Com ou sem barco, com ou sem caldeirada, com ou sem alto mar, se calhar o que importa é não perder o comboio... apanhá-lo mesmo em anamento, sem bilhete nem nada, e que se lixe o revisor :)

Bom fim-de-semana.
Beijos.

Alien8 disse...

Teresa,
Pronto, uns legumezinhos, com todo o carinho :)
Bom fim-de-semana.

Alien8 disse...

Isabel,

Pronto, é SEM :))) Há-de ser sem sem.
Um beijo.

Alien8 disse...

Sabr,
Um bom fim-de-semana para ti também.
E o meu abraço.

Alien8 disse...

Emn,
Já sabes muito :)))
Beijinhos.

Alien8 disse...

Tuché,
Um bom fim-de-semana para ti, amiga, com pouca chuva se possível :)
Beijocas.

Alien8 disse...

Cila,
Timoneiro lololol! Mas tu é que entendes de desportos náuticos, radicais e afins! :))
Beijos para ti, e passa um óptimo fim-de-semana.

Alien8 disse...

Mocho Falante,
:)))
Sabes, eu também não sou grande fã da Cesária. Mas a música e estas duas vozes nela... são um assombro!
Bom fim de semana.
Um abraço.

Vanda Baltazar disse...

Alien, eu não me estava a referir a ninguem, não costumo referir-me a ninguem, não costumo mandar bocas a ninguem!

Estava a falar de mim, desta minha mania de viver contos de fada, de julgar que as pessoas conseguem sempre superar tudo!

A única pessoa que desta "mesa" me falou frontalmente sobre o assunto foi a Teresa e como ela mesmo me fez ver, ela sabia que eu não queria dizer o que entenderam mas que as pessoas fizeram confusão por isso.

Trocamos varios mails nesse mesmo dia, nada de rupturas nem de mal entendidos entre nós as duas...

Sempre deixei claro que tenho uma admiração grande pela Teresa, um carinho especial e que sei avaliar bem o que ela passa, porque tenho uma pessoa directamente ligada a mim, com a mesma doença.

Uma pessoa que vive comigo, que é o meu companheiro de viagem!

Sei que hei-de sempre esconder a fragilidade com um sorriso. A lágrima com uma brincadeira. A magoa com uma fotografia.

Sei que me posso deitar partida, aos cacos, que na manhã seguinte, hei-de de novo voltar a colá-los...

Serei forte ou burra?
Que importa?

Para a viagem que faço desde ha tres anos ao lado desse homem, tambem não comprei bilhete.

Mas mesmo com a carruagem a derrapar não saí da viagem.

Mesmo com o revisor a avisar que podia haver acidente, não desisti, nem penso desistir.

E afinal de contas, as viagens no mundo real, na vida real, feitas de partilhas e de olhos nos olhos é que são as mais importantes!

Desculpa só agora responder à dispensa, o controlo activex não me deixava entrar...

Foi atraves do teu comentario no Piano, que por fim, consegui...saber.

Porque nem um comentario me lá deixaste :(

Gostei de fazer parte de.

Ou de julgar que fazia.

...que fazer? devem ser essas correntes subterranias...

Van

Alien8 disse...

Vanda,
Deixei, sim, embora pequenino, só a desejar bom fim de semana.

Não estou em desacordo com nada do que escreveste, agora ou antes. Só que agora percebo muito melhor por que razão assim escreveste.

Foi através do meu comentário no Piano que, por fim, conseguiste saber... o quê? Esta passou-me ao lado.

Claro que fazes parte. Nem há que duvidar. E agradeço que gostes de fazer parte :)))

Não somos assim tantos, sabes?

Um beijo.

a rasar o ceu disse...

uff...que se passa????

espero que apenas um nenhum desentendido...:))))

raios.
a vida já é tão complicada....please...tudo bem?


beijos aos dois A e Van.
________________

Vanda Baltazar disse...

Atraves do teu comentario no piano porque só aí, clicando em "ti" consegui entrar, sem o activex depurar o programa automaticamente!

Depois de tres ou quatro dias a entrar normalmente pelo link que te criei lá no meu, julgava o problema resolvido, mas afinal ainda persiste!

Bom, mas deixemos o activex em paz...é tão pouco importante!

Importante para mim, foi teres deixado aqui escrito que eu estava dispensada. E eu só ter visto agora!Sabado à noite, perto da meia noite!

Sem primeiro tentares perceber o porque...da minha forma de estar, de sentir...

Se as pessoas não se tentarem compreender umas às outras, perceber o que as move, que luz as ilumina, o que procuram, nunca havera realmente humanidade...haverá sempre mal entendidos, raivas, coisas mesquinhas...

Haverá sempre dispensas...e cartões encarnados, portas fechadas e solidões...

Se as pessoas não deixarem, de uma vez por todas, de ser desconfiadas, no sentido que desconfiam que alguem lhes está a fazer mal, que um está a magoar o outro propositadamente, que alguem está a usar de má fé para com terceiros...sem provas, sem nada de concreto em seu poder, para tal avaliação, nunca poderemos estar em paz...uns com os outros...e com nós próprios!

Confiança nos outros, percebes?

E capacidade de perdoar...

e empatia...

e calma...

Serenidade e lucidez para perceber se a "caldeirada" esta no ponto ou não! :) ves? estou a brincar para tentar digerir a tristeza que as tuas palavras há pouco me trouxeram! :(

Será caso para UHU?

Espero que não, que baste uma água das pedras...

Beijo :)

Vanda Baltazar disse...

A palavra "dispensada" é indigesta, raios!!!!


Obrigada, Isabel, Maga das poções de doçura!

Teresa Durães disse...

c'a confusão!!!!!!!!!

desde que não haja cadáveres a boiar na comida, por mim está tudo bem!!!

boa noite!!!

Alien8 disse...

Vanda,

Por favor! Só respondi à tua pergunta:

"Alien, lavo os copos e mudo os cinzeiros ou estou dispensada?"

Disse que estavas dispensada, claro.
Então ia lá deixar que lavasses os copos ou mudasses os cinzeiros???

Apenas isso. Que grande confusão! Ou, como bem disse a Isabel,
"nenhum entendido" :)

Lamento imenso se isso te entristeceu. Não tem nada a ver com cartões vermelhos ou desconfianças, como vês. Foi apenas a continuação da tua brincadeira. Nada, rigorosamente nada mais. Digo-te mesmo que comecei por ficar intrigado e finalmente francamente surpreendido com a tua reacção. Nem me passou pela cabeça que terias tomado a palavra nesse sentido.
No sentido em que não te dispenso nem jamais dispensarei. No da amizade que se vai construindo.
Um beijo e um abraço.

Alien8 disse...

Correcção: "nenhum DESentendido" :)

Alien8 disse...

Isabel,
Foi um "nenhum desentendido", sim :)
Obrigado por ajudares.
Um beijo.

Alien8 disse...

Teresa,
Que entendes por "cadáveres a boiar na comida"? Carne e peixe? :P
Boa noite!

Vanda Baltazar disse...

Ufffff :))) alívio :))))


Deve ter sido devido à exaustão do dia :)) visita às condutas de água entre Caneças e Belas, deve ter sido de tantos subterraneos :)) dos morccegos das aranhas das estalactites :))

Ainda bem :)))


Passamos ao café com torradas???


Beijo :)


Bom dia!!!

Van

Teresa Durães disse...

olha, só agora vi a tua pergunta!

claro que é carne e peixe! e molusculos! marisco e derivados ahahahahh


bichos! (mortos) nem gatos. :P

boa tarde!

Alien8 disse...

Vanda,
Pois é, condutas de água, aranhas, estalactites, morcegos, e dá nisto hehehe. Passamos ao café e às torradas, claro. O que importa é sentires-te bem de novo.
Beijos.
Boa tarde.

Alien8 disse...

Teresa,
Molusculos? Eheheheheh! :)
Muito obrigado pela amável excepção dos gatos. Eles hão-de agradecer-te, à maneira deles :P
Boa tarde!

Vanda Baltazar disse...

:)) Estamos feitos!!! nem umas ameojoas à bulhao pato :) a alimentam :)

-A sopa de agrião fica por minha conta :))já que tb é a minha preferida :)

Sinto-me bem, graças às palavras que lá me deixaste :) Balsamo!!

Falando a sério, alem de uma noite pouco dormida, no sabado fiz uma visita fantástica ao Aqueduto das Aguas Livres, foram Km e Km de tuneis, depois atravessamos a pé o grande Aqueduto que atravessa do Monsanto para Campolide (onde nasci)e por fim, por volta das tres horas, o passeio cultural terminou no Museu da Água, na Mãe DÁgua, nas Amoreiras, para um almoço que já tardava.

Devido ao cansaço e ao facto de te estar a pedir desculpa e não ter uma resposta tua :) lá no meu sitio, deu para alucinar!! :))

Como nunca sei quando cá consigo vir, cá ficam os meus votos de boa noite, bom dia e bons petiscos!


;)


Van

Alien8 disse...

Vanda,
É bom saber-te bem. Não tinhas de que pedir desculpa, daí a confusão :)
Mas que grande passeio "aquático"!!!
Beijos.

Visi disse...

...sonhar!!!

Alien8 disse...

Visonária,
É preciso :)))
Beijos.