Aliencake

Foi numa tarde de sábado, de encontros, reencontros e desencontros, de estreia literária e café, tudo prolongado em noite, jantar e mais café, ficando no entanto curto o tempo. De súbito, aparece-me pela frente um bolo com a minha cara. Um bolo com rosto de Alien. Olhei-o uma e outra vez, e só não me belisquei porque dói um bocado, convenhamos. Mesmo a aliens. As pessoas cantavam os parabéns e batiam palmas, eu ouvia e agradecia, mas mal tirava os olhos do bolo. Fizeram-me pegar nele com uma mão, perante a apreensão de alguns circunstantes, e conduzi-lo, ou deixar que me conduzisse, à mesa improvisada. Vivendo desde sempre em terrível dúvida sobre a minha origem e condição, houve um instante luminoso em que tudo se revelou. "Sou um bolo, afinal sou um bolo!" - exclamei para mim mesmo, entre alguma perplexidade e o alívio de uma certeza há muito tempo aguardada. Foi sol de pouca dura. Lá tive que partir o bolo. Lá tive que me cortar à faca em fatias que rapidamente desapareceram. Ao que parece, estava bom, eu. O facto é que, apesar disso, ainda estou vivo. Não serei, então, um bolo? Serei apenas a recordação dele? Felizmente, a fotógrafa estava lá. Serei assim talvez a fotografia de um bolo. Há piores destinos. Há piores fins de tarde-noite de sábados de lançamentos de livros, encontros, reencontros, desencontros, jantares, cafés, aniversários e ainda mais. Muito, muito piores, garanto-vos.

22 de out de 2007

BRAÇOS

Os teus braços vêm para mim como navios
a saír da bruma, oblíquos, ondulantes,
no rumo rigoroso sobre a planície de água:
navios longos, ainda ao largo do meu corpo...
Lembro-me das campinas azuis - ou verdes? - das espigas,
de um quadrado de céu no tecto original....
Ah, dizer o que não digo, o que não sei,
contar os minutos, todos os minutos como se
estivesse neles e fora deles enquanto são,
enquanto sou! Há palavras que abrem mundos,
que abrem crateras na textura dos nervos...
Amo os teus dedos, que já não são gaivotas,
nem mesmo estrelas ou algas ou raízes.
Amo a água quando sinto que tem sede.

34 comentários:

isabel mendes ferreira disse...

_____________________________
estrela oblíqua . esta.

a rasgar o branco de um blog que tem dedos de ternura._________________________e mais não digo.



que é tua a textura. da água.

____________________________um abraço.


(obrigada)

sonia r. disse...

Bonito Alien.
Boa semana. Abraço.

wind disse...

Maravilha de poema de amor, ternura e desejo.
Adoro quando escreves:)
Beijos

isabel mendes ferreira disse...

...
...


eu..eu é que agradeço.

...
...


gentil A.


beijo.

Teresa Durães disse...

e eu amei o poema!!! (mas poque nunguém me escreve assim???? ahahahahha)


beijos

(também muito ausente)

Gi disse...

os dedos não são raízes mas deixaram semente num lado qualquer. deram fruto. o terminus desses braços ondulantes , sulcou a terra , abriu mares e fez soltar em ti a poesia. O amor escorreu pela ponta dos teus dedos. da tua escrita.

Um beijinho

Alien8 disse...

Isabel,

Está bem, agradecemos ambos :)))

Gostei das tuas palavras, como sempre.

Um beijo.

Alien8 disse...

Sónia R.,

Obrigado!

Um abraço.

Alien8 disse...

Wind,

É mais do que eu mereço :)

Obrigado!

Um beijo.

Alien8 disse...

Teresa,

Fico feliz por teres amado o poema :)

As ausências, bem, são necessárias. Imprescindíveis, diria mesmo.

Beijos.

Alien8 disse...

Gi,


Belas palavras as tuas, que muito agradeço. Comoventes.

Um beijo.

guida disse...

é lindo,como tudo o que escreves

um xi-coração da mana

Alien8 disse...

Guida,

Obrigado :)))

Um beijinho, mana!

nnannarella disse...

Muito gosto destas tuas outras iguarias de luxo, que a Poesia, como dizia a bela e mordente Vate, é para comer. Vernáculas, de ternura concisa e de austera emoção. Beijos felizes.:)

Lola disse...

Braços, abraços e um monte de beijos

Alien8 disse...

Nnannarella,

É mesmo!

Fico feliz por gostares, e a tua apreciação é uma delícia :)

Beijos também felizes! Que é como quem diz, "Vaso!" no plural. Será "Vasi!"?

Alien8 disse...

Lola,

Ena, ena, tanta coisa ;)

Já tenho com que me entreter!

Beijinhos. Muitos.

Caracolinha disse...

Olá meus queridos, se puderem passem na casca e assinem a petição.

Divulguem.

Obrigada.

Beijos encaracolados para todos de todos.

Alien8 disse...

Caracolinha,

Obrigado pelo aviso. Está assinada.
Beijinhos.

nnannarella disse...

Eccerto!, Senhor de Alien, Grande Aprendedor! Imagina tu, como a língua napolitana pode ser tão traiçoeira também...:)

Vasi!

Alien8 disse...

Nnannarella,

Obrigado. Vasi :)))

PintoRibeiro disse...

Bom domingo, boa semana, abraço.

Mocho Falante disse...

já tinha saudades desta tua escrita...parabéns

abraços

Gi disse...

Resto de um bom domingo. Um beijinho. Se este comentário aqui ficar dou 3 saltinhos :)

Gi disse...

Dei :)

Alien8 disse...

Pinto Ribeiro,

Boa semana, que o domingo está quase a acabar.
Um abraço.

Alien8 disse...

Mocho Falante,

Obrigado.

Boa semana e um abraço.

Alien8 disse...

Gi,

Boa semana. Porque não haveria de ficar (o comentário)?

Bons saltinhos :)

Um beijo.

Anônimo disse...

sede. sede de
MAIS!!!!!




_____________________


y.

mar disse...

Belo o teu poema :)*****

Alien8 disse...

Y,


Haverá mais :)
Não sei quando, mas haverá.
Obrigado pela sede.

Alien8 disse...

Mar,

Obrigado :)
Boa semana *****

Alien David Sousa disse...

"Há palavras que abrem mundos,
que abrem crateras na textura dos nervos"

ADOREI!
Beijinhos alienígenas

Alien8 disse...

Obrigado, mana :))

Beijinhos alienígenas!