Aliencake

Foi numa tarde de sábado, de encontros, reencontros e desencontros, de estreia literária e café, tudo prolongado em noite, jantar e mais café, ficando no entanto curto o tempo. De súbito, aparece-me pela frente um bolo com a minha cara. Um bolo com rosto de Alien. Olhei-o uma e outra vez, e só não me belisquei porque dói um bocado, convenhamos. Mesmo a aliens. As pessoas cantavam os parabéns e batiam palmas, eu ouvia e agradecia, mas mal tirava os olhos do bolo. Fizeram-me pegar nele com uma mão, perante a apreensão de alguns circunstantes, e conduzi-lo, ou deixar que me conduzisse, à mesa improvisada. Vivendo desde sempre em terrível dúvida sobre a minha origem e condição, houve um instante luminoso em que tudo se revelou. "Sou um bolo, afinal sou um bolo!" - exclamei para mim mesmo, entre alguma perplexidade e o alívio de uma certeza há muito tempo aguardada. Foi sol de pouca dura. Lá tive que partir o bolo. Lá tive que me cortar à faca em fatias que rapidamente desapareceram. Ao que parece, estava bom, eu. O facto é que, apesar disso, ainda estou vivo. Não serei, então, um bolo? Serei apenas a recordação dele? Felizmente, a fotógrafa estava lá. Serei assim talvez a fotografia de um bolo. Há piores destinos. Há piores fins de tarde-noite de sábados de lançamentos de livros, encontros, reencontros, desencontros, jantares, cafés, aniversários e ainda mais. Muito, muito piores, garanto-vos.

11 de jan de 2008

Para um bom começo de ano,

a "You", dos Neverend.

E um poema para a Lola, com um beijo, porque este ano começou bem e vai continuar ainda melhor :)




O indizível

Não há como dizer o indizível.
Mais do que gastas, estão ocas as palavras,
Ricocheteiam, riem-se de mim,
Secam-me os lábios, estalam-me no peito.
Abro os braços de impotência e de ternura,
Fecho os olhos, procuro... e sinto o sal
Marcando a ferro quente um rosto estranho,
Um eu que não sou eu nem sei quem é,
E seja quem for, que importa? Nada importa
Até que do silêncio obscuro a tua voz
Me envolve o corpo em música de luz,
Da poeira nascem minúsculas estrelas
E eu estendo os braços, alcanço-te e respiro,
E em ti me sei, me reconheço, vivo.

(9 de Janeiro de 2008)

30 comentários:

isabel mendes ferreira disse...

Abro os braços de impotência e de ternura,
Fecho os olhos, procuro... e sinto o sal
Marcando a ferro quente um rosto estranho.....,
_________________ .__________


uffa...estava a pensar que algo não estaria bem...

ainda bem que me enganei...:)


saúdo..te COM ESTRELAS.

as que espalhaste hoje por aqui.


bom "alcançar-te" assim a respirar música.


Bom dia A.


beijo.

wind disse...

Belo poema de amor:)
Sorri ao lê-lo, porque já é tão difícil ver casais assim:)
Eu bem insistia que mostrasses aqui os teus escritos:)))
Beijos

Lola disse...

Alien

"Deixo cair a mão direita levemente no teu ombro
ergo a cabeça até que o meu olhar se prenda
como sempre nos amados lagos que me sorriem..."

Sacudo a poeira, e tu vês as
estrelas nos meus olhos.
Sorrimos cúmplices.

Estendo os braços para os teus á minha espera e fundimo-nos num abraço de Ternura.


Obrigada pelo Poema.

Beijos

mjf disse...

Olá Alien8
Lindo...lindo...a Lola é uma grande mulher, para o inspirar desta maneira tão bonita!!!
É bom ver-vos juntos e sentir a cumplicidade, companheirismo e muito amor que vos une...

Bem hajam e façam o favor de continuarem a ser felizes


Beijos

PintoRibeiro disse...

Belíssimo!
Boa semana, um abraço.

Mocho Falante disse...

A Lola é uma sortuda é o que me apraz dizer...este poema é de estalar de sensibilidade

parabéns

nnannarella disse...

Mais bela ainda esta digressão pelos teus itinerários interiores que não me canso de admirar. És um dos poucos que sabem fazer do indizível Algo de compreensível, sem precisar de magias de circes de pacotilha nem de acrobacias circenses, do patético circo metafórico que pulula por aí. - É a diferença de quem escreve do core e de quem o faz para ter coro.
Tão belo cantar que nos faz feliz duplamente, se tivermos a quem o dedicar, o que é até é o meu caso...:)Vasi! Vasi!

Vanda Baltazar disse...

Bom o ano que se assim se escreve, lê, se sente e sorri :)

Beijo de boa semana, Alien! :)

Alien8 disse...

Isabel,

Está tudo muito bem, obrigado.

Alien8 disse...

Wind,
O que é difícil é ver pessoas como tu.
Hei-de continuar a mostar os meus escritos, assim nunca me falte alguma inspiração.
Obrigado.
Um beijo.

Alien8 disse...

MJF,
É, sem dúvida, uma grande mulher, e a grande responsável pela minha inspiração.
Continuaremos a ser felizes, nem temos outra hipótese.
Bem hajas também tu.
Um beijo.

Alien8 disse...

Pinto Ribeiro,
Obrigado, camarada, se me é permitida a expressão!
Um abraço.

Alien8 disse...

Mocho Falante,

Obrigado, amigo. Mas olha que o sortudo sou eu!

Um abraço.

Alien8 disse...

Nnannarella,

Obrigado pelo teu comentário, de uma grande inteligência e sensibilidade. Assim o mereça, ou saiba vir a merecê-lo. Tento escrever com o core, sim, e por vezes acho que consigo.
Feliz fico eu por te ter feito duplamente feliz, e por saber que também tens a quem dedicar o que quiseres dedicar.

Vasi!

Alien8 disse...

Vanda,

Obrigado por teres cá vindo, e pelo que deixaste escrito. Bom seja o ano para ti.
Um beijo.

Alien8 disse...

Lola,

Normalmente, os teus poemas não são feitos de palavras. São de sorrisos, olhares, gestos, atitudes.
Desta vez surpreendeste-me e emocionaste-me, aos responderes ao meu poema com um poema ainda mais belo.
De mãos dadas hoje como sempre, continuaremos com a Ternura que dizes e sentes o caminho da nossa vida.

"Sacudo a poeira e tu vês as
estrelas nos meus olhos.
Sorrimos cúmplices."


Sabes? Nunca ninguém tinha escrito nada tão bonito para mim.

Por isso, hoje sou eu quem te diz:

Obrigado pelos poemas. Pelo que escreveste, e pelo que és.

Um beijo.

MariaTuché disse...

Maravilhoso momento!!

Obrigado amigo :)

beijosssss

Teresa Durães disse...

gostei imenso do poema
(tirando a última parte, infelizmente é o que sinto)

beijo

Alien David Sousa disse...

"Até que do silêncio obscuro a tua voz
Me envolve o corpo em música de luz"


Maninho, um de nós tinha de ter nascidom com talento lol
ADOREI! Beijinhos alienígenas

PintoRibeiro disse...

Passei, abraço,

Belzebu disse...

Depois de este excelente poema por onde tens andado? Será que foste sequestrado por alguma editora multinacional?

Espero que tudo esteja bem e envio-te o habitual abraço infernal!

Alien8 disse...

AlienDS,

Quem lê o TEU blog percebe imediatamente que nasceste com talento, mana!!! :))


Obrigado e beijinhos alienígenas.

Alien8 disse...

Pinto Ribeiro,

Obrigado pela passagem.
Um abraço.

Alien8 disse...

Belzebu,

Isso é que era bom, o sequestro lololol! Só mesmo tu!

Um abraço alienígena.

Gi disse...

A noite caíu mas o meu rosto iluminou-se ao ler-te, ou terá sido culpa do pó de estrelas ... Fiquei rendida à beleza das palavras, da sensibilidade, do amor que delas transpira ... e se respira. Lindo .

Um beijinho , noite feliz

sonia r. disse...

Que tenhas realmente um bom ano Alien.

Alien8 disse...

Gi,

Obrigado! Também gostei das tuas palavras.

Bom fim de semana.

Beijinho.

Alien8 disse...

Sónia R.,

Tudo de bom para ti, incluindo o fim de semana.

Alien8 disse...

Mariatuché,

Obrigado sou eu, amiga.

Beijos.

Alien8 disse...

Teresa,


Gostei de que gostasses. Não gostei de não sentires a última parte. Hás-de sentir.

Um beijo.