Aliencake

Foi numa tarde de sábado, de encontros, reencontros e desencontros, de estreia literária e café, tudo prolongado em noite, jantar e mais café, ficando no entanto curto o tempo. De súbito, aparece-me pela frente um bolo com a minha cara. Um bolo com rosto de Alien. Olhei-o uma e outra vez, e só não me belisquei porque dói um bocado, convenhamos. Mesmo a aliens. As pessoas cantavam os parabéns e batiam palmas, eu ouvia e agradecia, mas mal tirava os olhos do bolo. Fizeram-me pegar nele com uma mão, perante a apreensão de alguns circunstantes, e conduzi-lo, ou deixar que me conduzisse, à mesa improvisada. Vivendo desde sempre em terrível dúvida sobre a minha origem e condição, houve um instante luminoso em que tudo se revelou. "Sou um bolo, afinal sou um bolo!" - exclamei para mim mesmo, entre alguma perplexidade e o alívio de uma certeza há muito tempo aguardada. Foi sol de pouca dura. Lá tive que partir o bolo. Lá tive que me cortar à faca em fatias que rapidamente desapareceram. Ao que parece, estava bom, eu. O facto é que, apesar disso, ainda estou vivo. Não serei, então, um bolo? Serei apenas a recordação dele? Felizmente, a fotógrafa estava lá. Serei assim talvez a fotografia de um bolo. Há piores destinos. Há piores fins de tarde-noite de sábados de lançamentos de livros, encontros, reencontros, desencontros, jantares, cafés, aniversários e ainda mais. Muito, muito piores, garanto-vos.

7 de jul de 2006

Que


















Que silêncio me dás que eu já não tenha
Quebrado por palavras inquietas
Que resistem na meia-luz da ideia
Que se afirma cada vez mais lentamente
Que o devagar onde a vista se perde?


Que haja o dia de ser o eixo por
Que se movem em nós as mãos da água
Que definem as marcas arbitrárias
Questionadas na penumbra dos quartos
Que regressam, simplesmente regressam.


Que forma tem a transparência com
Que me envolves nos hemisférios em
Que não pergunto à voz da noite de
Que cores se tece a dimensão de um mar
Que por sombras e luzes anuncia
Que forma tem?

27 comentários:

wind disse...

bela imagem, poema de difícil leitura, confesso que o reli muitas vezes, para tentar apanhar o sentido.
Confesso que algo me escapa, pois sinto-o muito intimista, cheio de metáforas:)
Escurpa:-)
beijos

Alien8 disse...

Wind,
É só uma brincadeira à volta do "que". E algo mais. Vê nele o que quiseres, se quiseres :)
Beijinho.

Teresa Durães disse...

Olá Alien,

Li. Penso que tirei um significado. Se é o correcto, não sei. Guardo-o para mim. Ou não? Não sei.

Gostei do que li.

Alien8 disse...

Teresa,
Todos os significados que tirares são correctos :) Podes guardá-los ou não. Tu decides. Provavelmente, nem eu lhe encontro UM significado lol.
Em todo o caso,ainda bem que gostaste.
Boa noite.

Mendes Ferreira disse...

a forma de um momento multidimensional onde cabe inteiro
um abraço endógeno...



bom dia.


já emendei.:)


obrigada.

beijos.

"esvoaçantes" :)

que hajam dias....sempre!


amei. o post.

Visi disse...

Ès o Alien dos 1001 talentos...culinária e agora poesia! Muito bem!5 estrelas.

pintoribeiro disse...

Só vim mesmo deixar um abraço. ( Tou num cyber ).

Cereja_no_Bolo disse...

'Que' bem! :)

Tuche disse...

Amigo Alien8, eu li mas confesso que não senti...
Vou ler de novo mais logo :)

Beijosssssssss

pisconight disse...

Que poema tão estranho
que me deu a volta à cabeça
que me caiu redonda no chão
quebrando-se em mil bocados...

Que tenhas um bom fim de semana!!
;)

Alien8 disse...

Isabel,
Obrigado por teres amado o post. É sempre bom sentir isso. O poemita parece ser complicado, e talvez seja mesmo. É o que acontece a quem se mete com o "que" das mil aplicações. Mas sempre me fascinou, a palavrinha. Que se há-de fazer? :)
Bom fim de semana.
Um beijo.

Alien8 disse...

Visionária,
Lolololol! Mas obrigado pelas estrelas. Vou considerar a hipótese de passar a chamar-me Alien5, ou talvez Alien1001 hehehe.
Beijinhos e bom fim de semana.

Alien8 disse...

Grhiba2,
Num cyber, hmmm? Isso é que é vício, K'mrd! Obrigado pelo abraço. Outro para ti.
E bom fim de semana.

Alien8 disse...

Cereja,
LOL! Bem visto! E obrigado, amiga.
Bom fim de semana.
Beijoca.

Alien8 disse...

Tuché,
Talvez não dê para sentir. Até eu acho a coisa um bocado estranha lolol. Veremos mais logo :))
Bom fim de semana e beijinhos.

Alien8 disse...

Pisconight,
Lololol! Boa resposta!
Um bom fim de semana para ti também.

The City Lights disse...

Olá Alien8,
olha lindo, ainda não tinha ca vindo depois do jogo, porque fiquei em choque com tanta ajuda do arbitro!Ainda tou em choque....acredita!!
Vim deixar um jinho enorme lindão....aos 2, claro....e excelente fim de semana!
;)

Alien8 disse...

Olá The City Lights,
Agora que o choque passou, amanhã há mais :) Espero que tenhamos melhor sorte, e que joguemos ainda melhor.
Um bom fim de semana para ti e um beijo
dos dois.

Cristina disse...

mistério...:)

beijos, bom fim de semana.

Alien8 disse...

Cristina,
:))
Beijos para ti. E bom fim de semana também.

Teresa Durães disse...

Guardo ou não?

Sabemos de antemão que
"os que lêem o que escrevem
na dor lida sentem bem
não as duas que teve
mas só a que não tem"
FP

Assim posso escrever que:

"A voz da noite da noite", alguém que por aí anda, seja quem for, ainda te intriga. Mas de tal forma que te inquieta de alguma forma. Seja de que forma for.
Assim é a net...

Alien8 disse...

Teresa,

Citaste de memória :) , mas é um pouco diferente:

"E os que lêem o que escreve,
Na dor lida sentem bem,
Não as duas que ele teve,
Mas só a que eles não têm."

A tua interpretação: como te disse, qualquer interpretação é correcta, visto que, a partir do momento em que acabo de escrever, deixo de ser dono do que escrevo, mesmo que se trate de uma coisa mínima como esta. Na minha interpretação, a inquietação está lá, mas não necessariamente o "alguém" - apesar do aparente diálogo. Gosto de jogar com palavras, e isso talvez me afaste, por vezes, de alguma ideia inicial. Outra coisa que costumo fazer é vaguear com as ideias, por isso saem coisas com pouco nexo, pelo menos na aparência - e, provavelmente, também na realidade. Enfim, faço o que posso :)
Obrigado por leres e interpretares.

Teresa Durães disse...

foi de memória sim (não ando com o FP atrás lololol e há muito tempo não leio esse especialmente)

não escrevi antes porque não sabia se querias. é como dizes, às vezes entramos só a divagar - e os dedos apenas deslizam - às vezes os dedos ensinam-nos também o que estamos a pensar.

um exercício entre o eu e o Alien (ou o eu e a Teresa, não interessa agora quem)

às vezes são devaneios, sonhos infantis, outros apenas histórias bonitas de encantar. sei lá. (não serão os nossos pensamentos a ultrapassar o racional? estou só a divagar)

Quando assistimos às comédias romanticas e nos encantamos é porque gostamos daquele colorido. claro, não vamos largar a nossa vida/casamento/filhos, sei lá, por um dia daqueles. mas não deixa de ser um sonho bonito.

(continuo a divagar, não te esqueças, sou mulher, mulher=emotividade eheheheh)

pensamentos. fico por aqui.

Alien8 disse...

Teresa,
Precisamente. Esse tipo de exercício que é quase compulsivo, compulsivo mesmo em certas ocasiões, independentemente do que dele resulte ou não. "Vá pelos seus dedos"...lol.
Quase sempre começa na cabeça, e quando chega aos dedos já pode ser outra coisa. Depende do "intervalo". Quando chega a quem lê, é outra coisa com certeza. E assim é que está bem :)
Boa noite, bom domingo.

Teresa Durães disse...

(aquele post que tem o Almada Negreiros - Auto-retrato - e respondeste "Já te respondeste", ou algo do género, era de mim para mim que falava, por isso utilizei aquela pintura. Claro, não estava explícito, mas também não era propriamente intenção. Como tinhamos estado para aqui a divagar, resolvi só esclarecer-te!)

Teresa Durães disse...

(desculpa, não se chama auto-retrato mas sim duplo-retrato)

Alien8 disse...

Teresa,
Obrigado pelo esclarecimento. Por acaso, fiquei com essa impressão :)