Aliencake

Foi numa tarde de sábado, de encontros, reencontros e desencontros, de estreia literária e café, tudo prolongado em noite, jantar e mais café, ficando no entanto curto o tempo. De súbito, aparece-me pela frente um bolo com a minha cara. Um bolo com rosto de Alien. Olhei-o uma e outra vez, e só não me belisquei porque dói um bocado, convenhamos. Mesmo a aliens. As pessoas cantavam os parabéns e batiam palmas, eu ouvia e agradecia, mas mal tirava os olhos do bolo. Fizeram-me pegar nele com uma mão, perante a apreensão de alguns circunstantes, e conduzi-lo, ou deixar que me conduzisse, à mesa improvisada. Vivendo desde sempre em terrível dúvida sobre a minha origem e condição, houve um instante luminoso em que tudo se revelou. "Sou um bolo, afinal sou um bolo!" - exclamei para mim mesmo, entre alguma perplexidade e o alívio de uma certeza há muito tempo aguardada. Foi sol de pouca dura. Lá tive que partir o bolo. Lá tive que me cortar à faca em fatias que rapidamente desapareceram. Ao que parece, estava bom, eu. O facto é que, apesar disso, ainda estou vivo. Não serei, então, um bolo? Serei apenas a recordação dele? Felizmente, a fotógrafa estava lá. Serei assim talvez a fotografia de um bolo. Há piores destinos. Há piores fins de tarde-noite de sábados de lançamentos de livros, encontros, reencontros, desencontros, jantares, cafés, aniversários e ainda mais. Muito, muito piores, garanto-vos.

11 de mar de 2008

Socrática

Sócrates, o filósofo que nada sabia: "Só sei que nada sei".
Sócrates, o engenheiro que tudo sabe: "O que me convence não é a força dos números, é a força da razão."

Esta frase grandiloquente do Primeiro-Ministro poderá até ter passado, perante os mais desprevenidos, por uma boa resposta à manifestação de professores contra a política educativa do Governo realizada em Lisboa no passado dia 8. É sempre bonito argumentar com a
força da razão.






Fico, porém, com três pequenas dúvidas:


1.
Quando de futuro José Sócrates ou qualquer membro do seu Governo vierem atirar-nos, como é hábito, com NÚMEROS sobre o crescimento económico, o défice, os impostos, a Função Pública, o Orçamento, a Saúde, a Educação, o investimento, o emprego ou o desemprego... e por aí adiante..., QUE CREDIBILIDADE PODERÃO TER? Afinal, são apenas números...





2.
Estiveram cerca de 100 000 professores na manifestação. Pessoas, creio... Será que o Primeiro-Ministro confunde pessoas com números, ou com um número? Será que as pessoas, os cidadãos, no exercício do seu direito constitucional de se manifestarem, nada lhe dizem?






3. E se os professores que estiveram na manifestação, como os professores em geral, tiverem também a força da razão? É sempre uma hipótese, que um Primeiro-Ministro de Portugal não deveria sacudir de forma tão leviana... ou deveria?


P.S.: Segundo as últimas notícias, as negociações entre a FENPROF e a Ministra da Educação já recomeçaram... Afinal, parece que a força dos números convenceu... ou terá sido a força da razão? Ou ambas? :)

28 comentários:

Mocho Falante disse...

Mesmo quando não parece, o poder do povo acaba por prevalecer. Esta arrogância do quem sabe somos nós tem de acabar de uma vez por todas

Aquele Abraço

nnannarella disse...

Alguns efeitos, à vol d'oiseau:

A Ministra não se excusou a pôr a cassette (à la Sócrates) no próprio dia da manifestação. Para mim, nem é arrogância nem ousadia. É patético canto do cisne.

Veio o Secretário de Estado e já diz que hão-de vir "acertos".

O Grande-Cérebro, Vitorino (que os homens não se medem aos palmos), já encostou à parede a burra mediocridade burocrática dos "objectivos a serem cumpridos custe o que custar".

Os colegas contratados estão sob chantagem nítida.

Nos campos de batalha (escolas), dividem-se "os mais velhos e que muito trabalharam" entre vestirem-se de preto e não se quererem "queimar".

As hostes do PSD confrontam enfim os palhaços que deixaram pousar nas suas direcções, pois vêem maná caído do céu para derrubar o D. Sebastião.

Mesmo com esta conversa esquálida (desculpa), mando-te vasi!:)

Alien8 disse...

Amigo Mocho,

Plenamente de acordo.

Um abraço para ti.

Alien8 disse...

Nnannarella,

Obrigado pelo teu vol d'oiseau, bastante informativo.

E não só: a parte da análise parece-me exacta.

Nada de esquálido e desculpas muito menos!

Vasi!

Vanda disse...

Sem duvida 100.000 é um numero suficientemente largo para dar razão a algo!

Só poderia ter um volte-face:)

De outra forma seria suicidio puro e para estrategia estão lá eles :)

Rosalina disse...

Este senhor e a sua equipa conseguiram algo de inédito: unir uma classe profissional. Facto cujas consequências só a médio longo prazo se sentirão, mas que acredito muito mudará.

Esqueceram-se que os professores são um grupo de gente que lê.

Esqueceram-se que os professores, na sua maioria, gosta daquilo que faz todos os dias.

Esqueceram-se que, ao contrário deles, todos os dias lidamos com aqueles que votam e hão-de votar.

Não é por acaso que a senhora ministra aparece de vez em quando e já declarou que gostava de aparecer mais vezes nas escolas, assim, de surpresa.

E acontece que os professores não sabiam que tinham esse poder. Começaram agora a ter consciência dele.

Oxalá, para o bem de todos, o usem da melhor forma.

São tempos cinzentos estes que vivemos.

E a frase do PM que citas - "O que me convence não é a força dos números, é a força da razão." - é o seu retrato, a sua síntese. Frase quase inócua, quando dita no meio de um discurso naturalmente arrogante e empolgado como costumam ser os de José Sócrates, mas que lida isoladamente assusta. Porque o que está implícito é que o que o convence é a força da sua razão.

Narcisismo puro.

Mas fomos cem mil. E esta é, afinal, a razão dos números.

Rosalina disse...

Adenda...

A propósito do balanço dos 3 anos de governação, Vitalino Canos diz qualquer coisa assim: Que o balanço é positivo e que o PS não perde tempo a discutir o que correu mal.

Desculpem, mas isto foi mesmo dito por um político em frente às câmaras?!

Então, o que corre mal não interessa discutir?!

Creio que seja esta a razão do PM....

Rosalina disse...

Canas*

Teresa Durães disse...

os 100 mil professores estão de parabéns. este executivo conseguiu algo que parecia ser imposssível: a união de uma classe que está sempre em guerra entre ela.

só por isso, dois terços dos profs estão mesmo de parabéns. espero qeu depois desta grande manifestação haja igual ponderação do governo

Teresa Durães disse...

só agora li o teu P.S. minúsculo. o primeiro deve estar a pensar que pode perder 100 mil votos ou um número bem redondo

Teresa Durães disse...

p.s. do p.s. do p.s (hoje estou chata)

o que mais achei piada foi dizerem que o rossio era pequeno demais. eu diria que Lisboa ficou pequena perante tão grande manifestação

(muito mais falaria deste assunto com dois filhos na escola e família de profs)

nnann arella musashi disse...

Gentil Senhor de Alien-san,

sim, meu Senhor, acompanhei minha Ama nas mil léguas da marcha dos cem mil. De katana e arco e flechas prontos, não fossem os polícias perguntadeiros armarem-se em polícias de choque...

E porque a propósito do Vosso excelente e claríssimo texto, deponho para Vossa apreciação e de Vossos Amigos
estes outros.

Afectuosamente, com a minha respeitosa mesura,

Vossa.

Alien8 disse...

Vanda,

Evidentemente :)

Que mais dizer?

Um beijo.

Alien8 disse...

Rosalina,

Obrigado pelo teu comentário, com o qual (os quais, por acaso:) concordo totalmente.

Tens toda a razão quando fals na força da razão DELE, e quando te surpreendes por não se perder tempo a discutir o que correu mal. Esta é mesmo de antologia.

Como professora que és, eu, que já fui professor, dou-te os meus parabéns.

Um beijo.

Alien8 disse...

Teresa,

Ena, ena, 3 comentários e todos bons!

Pois é, quem contacta com as pessoas, quem as tem na família, é que sabe como as coisas são. Ainda hoje um conhecido meu, membro há 5 anos de um Conselho Directivo, com um altíssimo índice de avaliação para os últimos 7 anos, se queixava de que o melhor amigo, dez anos mais velho e de longe, segundo ele, o melhor elemento da Escola, teria uma avaliação baixa POR TER OPTADO POR DAR AULAS, pelo contacto com os alunos, nos últimos anos de carreira! Espantoso!

Olha que a tua explicação para o meu PS minúsculo (esta vem a calhar hehehe) até pode ter o seu quê de RAZÃO :)

Beijos.

Alien8 disse...

Prezada e Sempre Mui Amável Senhora Musashi,

Folgo em saber que Vossa Ama teve boa e prevenida companhia, para o que desse e viesse.

Agradeço a menção dos textos, alguns dos quais já li, e que muito apreciei.

Daqui envio a Vossa Ama os meus parabéns , que sei-o bem, serão diligentemente entregues.

Para Vós, a minha vénia e o meu agradecimento.

Pêndulo disse...

Ah, os números...da conta bancária.

wind disse...

Pela 1ª vez juntaram-se 100000 professores de todos os partidos, sindicatos, a lutar por uma causa!
Isso é mais que uma razão de números.
É uma "força da razão"!
Beijos

Lola disse...

Alien,

Para se manisfestarem tantos professores, para haver tanta força e determinação também deve haver razão.

É pouco inteligente negar a evidência.


Mas não esperava que os governantes em questão o fossem!

Que não se deixe acalmar o mar da indignação!

Beijos

Alien8 disse...

Pêndulo,

Ou isso :)

Abraço.

Alien8 disse...

Wind,

Parece que sim :)

Beijos para ti.

Alien8 disse...

Lola,

Acho que não vai acalmar...

E eu também não esperava mais deste Governo.

Beijinhos.

Alien8 disse...

Recado para a GI:

Não consigo entrar no teu blog. Qué pasa?

Um beijo.

Vanda disse...

Bom dia :)

Obrigada pelo belissimo poema, deixado lá, não por acaso, sobre a mesa do nosso café :)

Quanto à foto d'el poder de la palabra" foi feita em Barcelona, Abril 2007 (só ontem descobri que posso "sacar" fotos minhas do Hi5 para o Blog), numa altura em que..."me quedavam las palabras"...digamos assim...e, que por isso mesmo, foi a meus olhos, uma imagem poderosa :)

"El poder de lo Graffiti", diria eu, também!!!

Quanto às anteriores, são belisssimas fotos, sem duvida! Estas manhâs algarvias, não ficam só bordadas com sorrisos "umbilicais" mas também com a descoberta destes olhares...

...por momentos meus, teus e de quem se passeeou através delas...

Quem me dera ter apanhado o Lago Rosa com aquela cor (depende das estações e do sol)!! Quem me dera ter andado Senegal dentro, sem horas, com todo o tempo para apanhar o "momento único" :)

O que lá me sucedeu, foi bem diferente, extasiada com as crianças, de olhos doces mas com mãos àsperas, até me esquecia da máquina na mochila...

O café estava óptimo :) foi saborosa esta "amena cavaqueira" :)

Beijo

Vanda disse...

Será "el poder d'el graffiti" ?

Alien8 disse...

Vanda,

Começando pelo fim, não sei como dizem os chamados nuestros hermanos (hm...hm...), mas se calhar é "el poder del grafitti", já que este plural se transformou praticamente num singular...

Obrigado pela informação sobre as fotos, pelo cafezinho e pela companhia. No Senegal nunca estive, mas tenho 10 aninhos de Moçambique. África é África!

Gosto imenso do poema que lá te deixei, e de outros do mesmo autor. Vejamos se faço alguma coisa a esse respeito...

Beijos.

Alien David Sousa disse...

Excelente post maninho.

""O que me convence não é a força dos números, é a força da razão."

Só um idiota como o nosso PM poderia ter proferido esta frase nas condições em que nos encontramos.

E tens toda a razão, ele vê números na manifestação nós vimos pessoas, seres humamos a lutar pelos seus direitos.

Quanto à frase, ele vai esquecê-la quando se tratar dos números miseráveis que este governo apresenta. É homem de memória curta, basta pensar no que prometeu e esqueceu, no que disse que iria fazer e agora faz o oposto.

Enfim...estamos mal, mas ficaremos pior ainda se este sócretino se mantiver no poder.


Beijinhos

Alien8 disse...

Mana AlienDS,

Desculpa só agora responder... para dizer que concordo totalmente com o teu comentário. Nem outra coisa seria de esperar hehehe!

Beijinhos alienígenas.