Aliencake

Foi numa tarde de sábado, de encontros, reencontros e desencontros, de estreia literária e café, tudo prolongado em noite, jantar e mais café, ficando no entanto curto o tempo. De súbito, aparece-me pela frente um bolo com a minha cara. Um bolo com rosto de Alien. Olhei-o uma e outra vez, e só não me belisquei porque dói um bocado, convenhamos. Mesmo a aliens. As pessoas cantavam os parabéns e batiam palmas, eu ouvia e agradecia, mas mal tirava os olhos do bolo. Fizeram-me pegar nele com uma mão, perante a apreensão de alguns circunstantes, e conduzi-lo, ou deixar que me conduzisse, à mesa improvisada. Vivendo desde sempre em terrível dúvida sobre a minha origem e condição, houve um instante luminoso em que tudo se revelou. "Sou um bolo, afinal sou um bolo!" - exclamei para mim mesmo, entre alguma perplexidade e o alívio de uma certeza há muito tempo aguardada. Foi sol de pouca dura. Lá tive que partir o bolo. Lá tive que me cortar à faca em fatias que rapidamente desapareceram. Ao que parece, estava bom, eu. O facto é que, apesar disso, ainda estou vivo. Não serei, então, um bolo? Serei apenas a recordação dele? Felizmente, a fotógrafa estava lá. Serei assim talvez a fotografia de um bolo. Há piores destinos. Há piores fins de tarde-noite de sábados de lançamentos de livros, encontros, reencontros, desencontros, jantares, cafés, aniversários e ainda mais. Muito, muito piores, garanto-vos.

4 de jun de 2008

Pequeno post nocturno, modesto mas de inegável amplitude, muitos furos, quiçá buracos, acima do que se pratica no estrangeiro, na Europa e em Espanha!

HERÓI É O QUE NÃO TEVE TEMPO DE FUGIR!

(Millôr Fernandes)



Para consolar os que porventura tenham ficado desanimados, e para desanimar os que ficaram consolados mas gostariam de tocar como este senhor, aqui fica o baixo de Victor Wooten.

São uns minutinhos que valem a pena. Espantoso o Amazing Grace, tocado com recurso frequente a harmónicas, e com afinação e reafinação de cordas em plena execução, a fim de ultrapassar as limitações da escala do baixo.

Divirtam-se!

24 comentários:

Lola disse...

Alien,

A frase do Millôr lembra-me uma de um amigo dos meus irmãos a propósito de brigas: "Eu nunca me fico. Fujo.":):)

A execução do Amazing Grace é fabulosa.

Parabéns pela escolha.


Beijos grandes

MariaTuché disse...

Amazing song.

Espero que estejas bem amigo, estou de volta das pequenas férias :)

Beijo

wind disse...

yeahh, completamente sublime!
Obrigada por este bocado que me fez ficar de boca aberta e a sentir ao mesmo tempo "nas nuvens":)
Beijos

Alien David Sousa disse...

"HERÓI É O QUE NÃO TEVE TEMPO DE FUGIR!"

Tive de soltar uma gargalhada alien uma gargalhada alienígena.

Para mim heróis são aqueles que largam tudo para irem para países aonde a miséria impera para salvar vidas. São aqueles que no dia a dia trabalham para que os sem abrigo tenham um pouco mais que tinham ontem, e por aí a fora.

Herois TIPO B.D não fazem o meu género, mas há muitos põr esse mundo a fora.

Beijinhos maninho

Alien8 disse...

Lola,

E podíamos continuar com a célebre expressão brasileira: "Ou mato, ou morro" - quer dizer, ou fujo para o mato, ou fujo para o morro :)

Obrigado!

E beijinhos, artísticos ;)

Alien8 disse...

Mariatuché,

Estou bem, obrigado. E tu?

Bom regresso de férias, pena o "pequenas"...


Beijos.

Alien8 disse...

Wind,

"Nas nuvens", pois claro :)))

Obrigado digo eu, e deixo-te um beijo.

Alien8 disse...

AlienDS,

Plenamente de acordo contigo sobre a heroicidade, mana. E ainda bem que te fiz rir :)

Beijinhos alienígenas!

PintoRibeiro disse...

Ora nem mais, K'mrd Alien.
Um abraço,

Alien8 disse...

Pinto Ribeiro,

Bom fim de semana e um abraço!

Graça B. disse...

Absolutely amazing! Guardo-o como um som para os dias mornos.

Um excelente domingo!

Emma Larbos disse...

Quantas maneiras de dedilhar uma guitarra!... Perdão, um baixo!

busillis disse...

Viva :)
Belo dedilhar!
Hoje é dia da minha apresentação!
E aqui estou.
Espero a tua visita...se quiseres!

Alien8 disse...

Graça B.,

Lá se foi o domingo, e a segunda, e o feriado...

Mas aquele som vai ficando.

Bom resto de semana.

Alien8 disse...

Emma Larbos,

Pois. Um baixo :)

Obrigado pela visita e pelo comentário.

Até breve.

Alien8 disse...

Busílis,

Hei-de aparecer, pois!
Muito em breve!

E obrigado pela visita.

Vanda disse...

Alien,


o teu bom gosto na escolha de musica está devidamente comprovado!


Heróis são também os que nunca perdem o sentido da vida e dos valores, por muitas ciladas que o destino lhes reserve...


Entre o mato e o morro, escolho o mato, que à primeira vista não me parece ingreme nem de subida pronunciada :) entre arranhões e falta de ar, a escolha não é dificil :))

beijos


por uma questão de folego

Alien8 disse...

Olá, Vanda!

De acordo quanto aos heróis, apesar da excelente definição do Millôr...:)

Quanto à música, obrigado. Diria que "não sou o único"...:)

Eu também iria para o mato. Não gosto de subidas pronunciadas :)

Beijos.

Gi disse...

Que 5 minutos !

Gosto muito de piano mas adoro guitarra .

Mais vale um cobarde vivo que um herói morto? :)

Um beijinho

Alien8 disse...

Gi,

Eu também.

A tua citação é parecida com a definição do Millôr Fernandes. Parecida, mas de modo algum igual...:)

Beijinhos

CESAR disse...

Antes de mais: Parabéns pelo blog, está excelente.

Sobre ser herói.
Tenho de discordar com a citação de Miltôr Fernandes.
Herói, é para mim, não aquele que não teve tempo de fugir, mas aquele que não pensa sequer em fugir. O que enfrenta o desafio até às suas últimas consequências. O que fica sempre, nunca arredando pé.
Pode perder, morrer até. Mas conservará a sua honra e será recordado como um dos poucos que não fugiu.
É pouco consolo para o que morreu? Efectivamente é, mas no momento em que se tornou um herói, ele é mais do que um homem, é uma chama de esperança, um exemplo para os outros, um caminho para a glória.

Aproximando a minha perspectiva da da AlienDS, herói é aquele que larga tudo para ir salvar outros. Mas não é estritamente necessário que mude de país, nem sequer de área de residência. A miséria vive mesmo nos nossos bairros, é só olhar para os sítios nos quais evitamos olhar, por nos parecerem pobres e repugnantes.
Aí vive a possibilidade de sermos melhores, melhorando-os e ajudando os que aí habitam.

Abraços.
CESAR

Alien8 disse...

Cesar,

Obrigado pela visita e pela opinião sobre o blog.

Quanto à definição do Millôr, convém reter que se trata de um humorista... e que a sua definição é, muitas vezes, a única aplicável.

Mas também concordo com a minha mana AlienDS, com a tua apreciação e com muitas outras, já que o heroísmo pode revestir muitas formas, consoante as circunstâncias de cada situação. Ser herói num duro dia-a-dia, ou ajudando sempre os outros, não é fácil: é, muitas vezes, mais difícil do que cometer um acto de bravura no meio de uma batalha, digamos.

Recordemos, a propósito, o que escreveu Bertolt Brecht:

"Há homens que lutam um dia, e são bons;
Há outros que lutam um ano, e são melhores;
Há aqueles que lutam muitos anos, e são muito bons;
Porém há os que lutam toda a vida:
Estes são os imprescindíveis.


Boa semana e um abraço.

Gi disse...

Vim ver se havia post novo :)

Não há. Deixo um beijinho e votos de bom fim de semana

Alien8 disse...

Gi,

Vai haver :)))
Beijos para ti, e um excelente fim de semana!