Aliencake

Foi numa tarde de sábado, de encontros, reencontros e desencontros, de estreia literária e café, tudo prolongado em noite, jantar e mais café, ficando no entanto curto o tempo. De súbito, aparece-me pela frente um bolo com a minha cara. Um bolo com rosto de Alien. Olhei-o uma e outra vez, e só não me belisquei porque dói um bocado, convenhamos. Mesmo a aliens. As pessoas cantavam os parabéns e batiam palmas, eu ouvia e agradecia, mas mal tirava os olhos do bolo. Fizeram-me pegar nele com uma mão, perante a apreensão de alguns circunstantes, e conduzi-lo, ou deixar que me conduzisse, à mesa improvisada. Vivendo desde sempre em terrível dúvida sobre a minha origem e condição, houve um instante luminoso em que tudo se revelou. "Sou um bolo, afinal sou um bolo!" - exclamei para mim mesmo, entre alguma perplexidade e o alívio de uma certeza há muito tempo aguardada. Foi sol de pouca dura. Lá tive que partir o bolo. Lá tive que me cortar à faca em fatias que rapidamente desapareceram. Ao que parece, estava bom, eu. O facto é que, apesar disso, ainda estou vivo. Não serei, então, um bolo? Serei apenas a recordação dele? Felizmente, a fotógrafa estava lá. Serei assim talvez a fotografia de um bolo. Há piores destinos. Há piores fins de tarde-noite de sábados de lançamentos de livros, encontros, reencontros, desencontros, jantares, cafés, aniversários e ainda mais. Muito, muito piores, garanto-vos.

31 de jan de 2009

O destino prega-nos cada partida!

É verdade. Quem leu os últimos comentários ao post anterior apercebeu-se certamente de que este blog foi rotulado de fraquinho, apontando-se como prova desse epíteto o facto de não exibir no lado direito um único prémio, acompanhado do competente estandarte.

Pois bem: coincidência ou justiça divina (provavelmente esta última, atendendo ao patrocinador...), eis que, do nada, me surge um prémio nunca visto na blogosfera. Um prémio, imagine-se, intergaláctico! A bem dizer, o prémio dos prémios, ou simplesmente O Prémio!

As regras estabelecidas são severas: nem passagens de galardão, nem agradecimentos. Porém, nada nelas estabelece que sou obrigado a aceitá-lo. Assim sendo, aqui declaro expressamente que, embora agradecendo a intenção e a honraria (que não o prémio!), não posso aceitar a distinção. De facto, a minha natural modéstia e o meu sentido de autocrítica obrigam-me a suspeitar de que devem existir, algures por aí, nalguma galáxia distante, um ou dois blogs melhores do que este.

Esclareço que apenas exponho o estandarte ali no lado direito por óbvio receio da ameaça de invasão bicadeira do temível exército de caturras. E quem não conhecer o Rufus que o compre, que eu já o topei muito bem!

E mais não digo. Tolhe-me as palavras a emoção. É para momentos destes que vivemos, são estes instantes de suprema felicidade que nos resgatam da humilhante prisão do dia-a-dia cinzento e inconsequente. Que quem tudo isto me proporcionou veja a distinção multiplicada e, se tiver blog, a ele atribuída... ah, mas não pode ser, é um prémio exclusivo. Paciência...!

CONTINUAÇÃO

67 comentários:

Arabica disse...

Alien,


Parabéns pela merecida honra que em boa hora chegou a este Planeta :) O seu estandarte não deixa dúvidas sobre a sua origem intergalática na esfera da criatividade e na dimensão metafisica da amizade, ainda e sempre possível entre "ETês" de aura verde e "CATurras" de penas multicolores :) sem esquecer os devidos respeitos ao General Rufus, capaz das mais terriveis estratégias de ataque, para que justiça seja feita :))


E que muitos mais momentos destes aconteçam para felicidade dos protagonistas, dos assistentes de direccção e de todos os outros seres (humanos ou não) que aqui passam dos melhores momentos das suas manhãs, das suas tardes, das suas noites :)) para desespero de alguns vizinhos que acordam com as suas gargalhadas.

:)) Bom fim de semana Alien :)


Beijinhos para ti e Lola :))

mar disse...

Eh lecas, agora és uma pessoa importante, com prémio e tudo :)

Parabéns, e vê se o colocas em lugar visivel, que tal em cima do pechiché...... :)

Beijinhos e bom fim de semana

Teresa Durães disse...

Rufus chega com toda a sua pompa e o seu exército a perder de vista verificar este acampamento para ver se as regras foram cumpridas

- Hum... parece-me tudo em ordem. Homens, vasculhem o resto da intergaláxia para verificar se houve fuga do prémio.
- Sim meu general.
- O estandarte, está bem arriado?
- Meu general, parece-me tudo em ordem.
- Hum...nunca se pode confiar nestes civis.
- Meu general? Encontrei uma ofensa grande à sua pessoa.
- Eu não disse???!!! Eu não disse??? Faça-me um relato completo de imediato!

A face do general ficou vermelha da irritação que de imediato se apoderou dele

- Pois, meu general... ãh... não sei como dizer-lhe...
- Homem, desembuche de uma vez!

Por esta altura o general Rufus berra que nem um louco

- Não me diga que esse Legível tornou a fazer das suas. Não o tinha já despachado para o Plutoide errático??

O soldado olha para o chão completamente atrapalhado

- Não meu general.. desta vez não foi esse terrível Legível... parece-me que esse ainda anda a vaguear pelo buraco negro de papel de fantasia...

- Ah!

o general acalma-se

- Então o que pode ser pior do que obra desse Legível?

o soldado arrasta os pés no chão

- ... o Deus do sol foi profanado...

O general dá um berro que se houve no acampamento todo

- O quê???!!!! Como foi isso possível??? Quem foi que se atreveu???

o soldado treme

- Pior ainda...

o soldado recua um passo em aflição

- Pior ainda???!! Ah! Vamos ter um banho de sangue! Desembuche de uma vez por todas que não sei se consigo conter a minha espada embainhada.

o soldado dá outro passo atrás

- Houve... não sei como dizer... houve uma substituição..

- uma substituição?? Uma substituição de quê?? E quem foi o autor??

- Uma referência... meu general.. ao cristo que foi adoptado pelo Reino Illusio...

- Como... como... como...??!!

O general quase não consegue falar

- Veja... ali à direita... a referência ao nosso bravo pelotão de caturras... substituiram a Era da Serpente por 466 a.C...

o general leva a mão ao peito como se tivesse a ter um ataque cardíaco e diz em voz rouca

- Quem... quem...

- Um dos verdinhos, meu general.. um dessa raça maldita... a praga que ainda não conseguimos dominar por completo..

O general desembainha a sua espada e num ápice corta a cabeça ao general, espirrando sangue por todo o lado. Em seguida limpa a espada na farda do morto e volta a embainhar

- Malditos portadores de más notícias. Mas isto não vai ficar assim!

Teresa Durães disse...

Caturra bate leve, levemente,
como quem chamam teme a entrada.
Será verdade, será mentira?
Erro não é certamente
e os prémios não se ganham assim.

É talvez um engano
mas a pouco, poucochinho
vai devagarinho
espreitando.

Quem ganha assim com tão estranha leveza
que mal se acredita, mal se entende
não é prémio, não é estandarte
nem merecido concerteza

Foi ver. As emoções eram expressadas
cinzentas e leves, cizentas e molhadas
há quanto tempo o prémio não via
e que saudades das gargalhadas.

Teresa Durães disse...

Carlo Alien, eu Teresa, vim aqui espreitar esta grande beleza e dou comigo a verificar que a caturra que anda por aí a voar foi apagada e calada.

Claro que este prémio é uma justiça divina, e temendo o terrível Rufus, nada como aceitá-lo de imediato. Percebo perfeitamente essa emoção por tanta distinção e agora esta nave espacial ficou mais bonita.

Um grande abraço de uma terráquea que tanto este blog (menos fraquinho) admira:

Teresa Condessa Daqui e De Além Mar

legivel disse...

... afazeres inadiáveis não me permitem de momento tecer quaisquer considerações sobre a referência que é feita ao meu bom nome em alguns comentários que aqui li muito pela rama diga-se em abono da verdade. Mas lá para os finais deste sábado regressarei.

Sobre o prémio: fiquei a um tempo comovido e espantado. Comovido porque desde a "Guerra das Estrela" nunca tinha visto nada parecido e espantado porque o som das trombetas assustaram de tal modo os cavalos do meu Mercedes que cheguei num ápice ao restaurante onde vou hoje almoçar.

Um sábado intergaláctico para todos e até logo à noitinha.

wind disse...

Gargalhadas, parabéns pelo prémio, é merecido:)
Beijos

legivel disse...

"... pior do que obra desse Legível.", "... despachado para o Plutóide errático", "... a vaguear pelo buraco negro da fantasia... " são as pérolas com que alguém decidiu caracterizar-me e enviar-me em grande velocidade para um buraco mais negro que o carvão de modo a que não possa assitir à cerimónia protocolar de atribuição do Prémio dos Prémios ao administrador deste blog.
Há-de fazer-se justiça. Divina, como escreveu Allien8 no seu brilhante ensaio "O destino está de partida". E então rirei. Que o último a rir, não tem lugar... no poleiro.

Até sempre.

Arabica disse...

Alien,

confesso que vim, li e saí.


Alguma vez poderia aqui ficar exposta sem a minha dura couraça, a minha leal armadura de ferro, perante a sanguinária vingança do General?

Não, Alien, saí como deves calcular e a tremer. Não só de medo. De frio também. Porque não só inventaram um General, como depois, entraram lentamente, lembrando a neve, de vestes brancas, quase espectrais...

Tive que esperar que os vizinhos chegassem para me ajudar a por a armadura protectora sobre o fato de neve.

Depois, tivemos todos (eu e os vizinhos) a missão ingrata de tentar encaixar os óculos sob a fina capa de malha metalizada... (já me estão a imaginar nestes preparos????) para conseguir ler de forma Legível uma outra personagem :))...por isso só agora venho :)) preparada para a neve, para a decapitação sanguinária das moscas apátridas que nos sobrevoam e ainda, num golpe de sorte -caso as lentes não me caiam a meio da missão- conseguir ler tudo o que se passa neste planeta.

Parece - me de facto, possuído por ventos e chuvas que fazem estremecer as estruturas lapidares desta civilização.

Assim sendo, saio de novo, na esperança de conseguir trazer uma grua na minha proxima visita :))



(Isto está a ficar giro, está!!!)


Beijos para todos

Alien David Sousa disse...

Mano, o teu blog de fraquinho não tem nada. Ponto final. Parabéns pelo prémio intergaláctico, és um orgulho para todos os alienígenas :)))
As tuas palavras nunca caem em saco roto e estão bem presentes no meu último texto ;)

Beijinhos alienígenas

Alien8 disse...

Arabica I,

Obrigado pelos teus parabéns e pelas tuas palavras sábias! :)

É mais do que evidente que também aqui crias esses momentos de que falas, por isso os merecidíssimos parabéns vão também para ti!

Tanto pior para os vizinhos :)

Beijos da Lola e meus.

Alien8 disse...

Mar,

:)))))

Está em lugar de destaque, claro! Um prémio destes não se inventa todos os dias :)

Beijinhos.

Alien8 disse...

Prezado General Rufus,

Só a generosa ofertante do prémio poderá explicar a escolha daquela data, 486 a.C. (e não 466, como por lapso, certamente devido à tremideira, o seu soldado lhe transmitiu).

Porém, teve esse facto o condão de obrigá-lo, caro General, a saír da toca onde se acoitava e vir a terreiro para uma das suas temíveis expedições punitivas, pontuadas de um diálogo vivo que me prendeu completamente a atenção.

Mas tenha cuidado, homem, não se exalte tanto, que isso faz-lhe mal à tensão e, pior ainda, acaba por levá-lo a cortar a própria cabeça!!!, gesto que me parece demasiado radical para demonstrar a sua perícia no manejo da espada...

Uma vez que se encontrava assim tão transtornado, não vou levar como ofensa o ter-me designado por "um dos verdinhos", o que, como adiante compreenderá, é mais ou menos o equivalente de eu lhe chamar "um dos pirilampos".

Gostaria apenas de aqui defender a honra da generosa ofertante, avançando a suposição de que ela não terá querido ofender gravemente Endovellico com referências a outras pretensas divindades: é sabido que, segundo a Bíblia, a culpa era da serpente (cf. Genesis 3:1 a 3:6).

Isto para não falar da transformação de Lúcifer em Satanás, imperdoável manipulação ofensiva do glorioso Povo da Luz, habitante e guardião da Terra da Serpente ou Luz-Citânia ou Ophiussa, já referida pelo seu ilustre homónimo, o poeta romano Rufus Avienus Festus, na sua notável Ora Maritima.

Veja lá o que sentiria se, por causa da Luz, eu lhe chamasse "um dos pirilampos". Hein?

Prezado General, admito que tinha saudades suas, e desejo que Endovellico o traga do Reino dos Mortos para que possamos continuar a apreciar as suas façanhas.

Seu admirador confesso,

Alien8

Alien8 disse...

Altíssima Caturra,

Que Augusto Gil se roa de inveja! Quais Balada da Neve, quais história!
Os seus versos são certeiros. De facto, já eu tinha admitido não merecer o prémio, por isso tenho que lhe dar toda a razão. Ou, vá lá, quase toda :)

E continuo às gargalhadas!

Que o tempo lhe alise e aperfeiçoe as penas, minha benfeitora!

Seu,

Alien8

Alien8 disse...

Cara Condessa,

Permita, antes de mais, que nos apresentemos como seu igual, já que também somos titulares: Alien8, Conde de B.I., Visconde de Cartão de Contribuinte e Marquês de Carta de Condução.

Aconselha-nos a aceitar o prémio, e estamos agora a ponderar essa possibilidade. Mas nada sabemos acerca de uma caturra apagada e calada. Fará o favor de nos elucidar, porque a caturra que conheçemos fala que se farta - e muito gostamos de a ouvir. E também escreve que se farta - e muito gostamos de a ler.

É uma honra tê-la como admiradora deste humílimo blog. E estamos certos de que, se a Cara Condessa Daqui e Etc. tivesse um, também muito o apreciaríamos.

Com a rasgada vénia que se impõe, somos,

Alien8 (BI, NIF e CC)

Alien8 disse...

Legível,

Agradeço as felicitações pela outorga do Prémio e a intenção de comparecer à cerimónia protocolar, mas compreendo que os cavalos do Mercedes são ainda mais imperativos do que os cavalos do vento que citei em post anterior. Por isso espero que tenhas usufruído de um excelente almoço.

No mais, esta caixa é tua para limpares o bom nome e quiçá lavar com sangue, a la Rufus, as ofensas que porventura te tenham atingido.

O meu ensaio não será assim tão, tão brilhante, mas... enfim... aceito o elogio, que não andam por aí muitos :))))

Um abraço.

Alien8 disse...

Wind,

Shiuuu... aqui para nós, que ninguém nos ouve, é mesmo mais que merecido :)))

Beijinhos para ti!

Alien8 disse...

Arabica II,

Bem dizia eu lá em cima que eras uma das grandes animadoras deste blog. E a que trabalhos te dás!

Espero que para a próxima consigas a almejada grua, que bem a mereces. E já agora, como diria a Lizzie, colocar os óculos como deve ser.

Mas não temas o General Rufus: ele, no fundo, até não é mau rapaz. Teve uma infância infeliz, pronto.

Conto contigo para a... hmmm... "decapitação das moscas apátridas???" Pois seja!

Um grande abraço.

Alien8 disse...

Mana DS,

Apesar de seres suspeita aos olhos de quem não te conhecer, sei que és imparcial e, portanto, incapaz de me ofereceres tão agradável ponto final só por sermos ambos alienígenas.

Agradeço-te imenso, e já vou ver onde caíram as minhas palavras ;)

Beijinhos alienígenas.

Lizzie disse...

Oh S. Pedro, tira-me aí essas nuvens da frente, traz-me os óculos que isto já está a passar das marcas. Afasta-se um Deus para retiro e é isto: nem os Verdes que criei como alternativa laboratorial aos terrenos escapam ao vírus dos Óscares

Maria Madalena, oh Madalena, trouxeste-me o branqueador para a barba? Não é amaciador,raio da velha que está surda, é branqueador com restaurador Olex para o cabelo, pode lá um Deus desleixar-se, posso lá eu desprezar esta minha parecença, de olhos fundos, com o Ralph Fiennes? Santa Lizzie vai fazer renda, que nem este nem o Benecio del Toro são para ti, raio de desorbitada foguete enquanto apareceu com os binóculos...

Emmanuel, meu filho, tu que és mais novo e vês melhor, dize-me cá, aquela criatura além no muro do prémio é a Angelina Jolie ou a Penélope Cruz? Quem? São Pedro, tira daí esse nevoeiro que se me desfoca a vista

quem me mandou sair daqui desde a queda do Império Romano e da Renascença, e logo eu que sou pai e mãe de mim e nem por mim posso chamar que não sou político, não me digas que é o Sean Penn...desde quando é que os homens usam popa de pássaro? Ai tu não me digas que também usa sabonete En Dove, já não lhe basta andar com a moda dos anos 70

São João, tu dá-me o telescópio da Nasa, São Tomás céptico, confirma se não é a Kate Winslet que vem lá em baixo

- Meu Deus não se debruce tanto que ainda cai da varanda do céu...

-cala-te Maria e vai para o solário que estás pálida. Oh como sou grande em criar tais talentos... vede como soam as trombetas em minha glória: à esquerda néons de sonho, à direita Aliens de Blogues Musculados.

Estendei a passadeira vermelha que me vou altivo

universo, universo meu, haverá alguém mais criador que eu?

Teresa Durães disse...

Caro Aline8:
Sabe-se universalmente que os generais do meu gabarito não têm qualquer obrigatoriedade em responder a civis mas dado que manifesta esse seu apreço (obviamente), retirei uns minutos dos meus afazeres para o satisfazer. Em relação à minha perícia com espadas, sendo eu um campeão de torneios e comprovados actos heróicos de guerra, esse pormenor insignificante que se refere deve-se ao facto de ter havido uma gralha. Essa passarola teve a ousadia de surgir repentinamente à minha frente, esbarrando na armadura do meu braço, e provocar um movimento que nunca seria meu. Claro que de imediato foi alvejado com uma seta para servir de exemplo a todos os bandos que se atravessam no meu caminho. E tal foi o sucesso que só, e apenas, as caturras são as nossas protegidas devido ao seu carácter íntegro que mais nenhuma ave tem.

Após ter consultado o manual do bom militar não encontrei qualquer referência à sua citação (cf. Genesis 3:1 a 3:6). Depois de um inquérito efectuado com profundidade entre os meus camaradas de guerra, segundo a metodologia de Émile Durkheim, , concluí que não deve ser assunto relevante para ter em consideração. Mesmo google it, apenas encontrei umas vagas referências a um tal antigo testamento, sabendo nós que os testamentos são fruto de manobras evasivas para não apoiar o esforço de guerra. E sobre este tema nada mais tenho a acrescentar.

Soube através do meu serviço de inteligência que uma pretensa Condessa ainda veio a lume para defender o seu aquartelamento. Obviamente que não tem noção da grandeza de um verdadeiro exército, como o meu, e da sua capacidade bélica tanto a cavalo como a pé, para além do furor com que entram nas batalhas. Prova disso é a conquista de terras e o império construído.

TREBARUNE INDI TAUROM
General Rufus

Arabica disse...

Alien

Será que este Rufus também é brilhante nas invasões navais? :)

E nos desembarques tipo Normandia?

Será que terá grandeza para uma "Operação Overlord"? ;)


Maior confiança me oferece a condessa :) mas, resigno-me ao destino da Nação e às devidas viragens do destino, provocadas por um qualquer criador que trata a Madalena por tu cá tu lá :)

De resto que poderia eu fazer?
Não passo de uma personagem self-made :) e com a grande ambição de assim continuar :) caso as moscas apatridas mo permitam :)

(nas traseiras há imensos quintais, alguns deles com pombais, os quais julgo serem a origem de tanta visita moscal, quando de manhã abro as janelas:))

Será que a caturra gosta de pombos?


:))


Beijinhos

Rosalina disse...

De facto, a minha natural modéstia e o meu sentido de autocrítica obrigam-me a suspeitar de que devem existir, algures por aí, nalguma galáxia distante, um ou dois blogs melhores do que este.


E que modéstia! Requintada. :p

_______________

Agora a sério, Eu acho que a Teresa tem razão.

Emma Larbos disse...

Caro Senhor Alien, não querendo deixar de lhe prestar as minhas homenagens e de o felicitar pelo prémio alcançado, cumpre-me comunicar que Deus me mandou cá abaixo para verificar a legalidade do mesmo. Poderia revelar a composição do júri, o Regulamento do Concurso e o valor do prémio, por favor?
Lá em cima recebemos uma queixa (anónima mas já mandámos o arcanjo Gabriel investigar) sobre algumas irregularidades neste processo. De facto, achamos muito suspeito que no ano 446 a.C. os arautos utilizados se vistam como em 1346 e que os cornetins exibam estandartes com coroas, símbolos de poder que por aquele ano ainda não tinham sido inventados.
Intimamo-vos, portanto, a comparecer logo que possível na terceira nuvem do primeiro anel celeste para esclarecer todos estes pormenores.

Miguel, Arcanjo, responsável supremo pela Justiça

PS - Particularmente, devo confessar-vos que acho o prémio da mais elementar justiça, mas haveis de compreender que um Arcanjo em serviço cumpre imparcialmente o seu dever.

Alien8 disse...

Lizzie, perdão, Santa Lizzie, que estais junto de Deus, rogai por mim, e que não sejam pragas de ciganos!

Não posso responder a Deus, mas a vós confesso que Ele anda a ver muito mal, a ponto de confundir prémios bloguísticos com óscares (que horror!) e a boa gente que por aqui anda com os pedantes de Hollywood. Coitado, está a perder qualidades... e nem reconhece a Caturra! Shhhhhhhhh!

Santa Lizzie, não pode, em verdade, ter sido o Criador mais Criador que nenhum outro quem escreveu este comentário. Algo me diz que fostes vós. Reconheço o estilo. Estarei errado?

Uma grande, grande vénia!

Alien8 disse...

Prezado (e pesado!) General Rufus,

Orgulho-me de me ter concedido a honra de uma resposta, ainda por cima com referência a passarolas outras que não as caturras do seu estranho exército.

Não se preocupe com a citação bíblica, que eu expliquei tudo sobre a serpente. Acalme-se, homem, acalme-se, não lhe vá acontecer outra!

Deixe que lhe diga que a Condessa não é pretensa, é uma condessa, para usar a sua expressão, de altíssimo gabarito, genuína e verdadeira. E ainda há-de cá vir responder à sua insinuação, que não é mulher que se fique! E, caro General, você e as mulheres... enfim, lembra-se da mocinha que andava sempre a vigiá-lo, e a quem fazia passar as piores torturas? Uma que até teve que mudar de nome, se a minha memória ainda funciona...? Lembra-se? E não aprendeu nada? Ah!

Trarárá trálálá para si também!

Alien8 disse...

Arabica,

Posso assegurar-te de que Rufus, o Malandro, é um General Todo O Terreno! Muito prático e eficiente, como já deves ter reparado. Overlord para ele seria canja!

A condessa é, no entanto, mais fiável...

Ao resto, só a Caturra poderá responder.

Mas eu posso deixar um beijo à tua personagem self-made, não posso? :)

Alien8 disse...

Rosalina,

Bem observado, já que nada se compara à minha modéstia!

Hmmm.... a Teresa tem razão em quê?

Alien8 disse...

Emma Gabriel Larbos Arcanjo,

Agradeço-lhe as homenagens e felicitações. Porém, quanto ao seu pedido, só a outorgante do Prémio poderá revelar o respectivo regulamento e a composição do júri. Eu apenas posso declarar que o valor do Prémio não é monetário (azar meu!): estas coisas são sempre simbólicas. Mas que é um grande símbolo, isso é!

Desconfie, Arcanjo, das queixas anónimas. Pois não se vê logo que 446 a.C. é somente a data em que a Caturra começou a distribuir prémios? E, desde 1346 (como é que adivinhou???), passou a utilizar aquela foto dos arautos, tirada por uma Sony digital, e parece que ainda não encontrou melhor.

Terei, no entanto, o maior gosto em comparecer na terceira nuvem do primeiro anel celeste para esclarecer todos os pormenores e tomar um cafezinho ou até um vinho quente - e, se puder ser, uns camarões tigre grelhados regados a cerveja Laurentina! Até posso ser eu a levá-los, em honra desse seu delicadíssimo P.S.!

Arabica disse...

Ai Alien!!

Então o que eu mais temia era a verdade nua e crua sobre esse Rufus que logo desde o inicio quis seduzir para dominar :) acabando assim na cadeira do Dr.Phill, onde contou a sua pessima e infeliz infancia, quiçá nas mãos de outros doutos Rufus e Rufas, sanguinários de faca na liga! (naquele tempo foi um verdadeiro escandalo quando se descobriu que tal homem aclamado pelos povos do Norte, na sua privacidade usava liga, mas passe-se à frente)

Assim, agora, com estes comentários de última hora me vejo devidamente elucidada sobre a verdadeira existência do Rufus e de quem com clareza se trata :))


Que as moscas o consumam e cem gansos vinguem a pobre rapariga sem nome:)))

Podes, pois :) ora toma lá outro :)

Teresa Durães disse...

Caro Conde, Visconde e Marquês (BI, NIF e CC),

É com grande prazer que venho opor-me a esse arrogante Rufus que se auto-intitula de General. Saberá, certamente, que não passa de um reles terrorista que aterrorizou um povo e raptou as crianças do Reino Illusio sem qualquer piedade. E é mesmo verdade que obrigou uma rapariga a mudar de nome, após esta ter passado tormentas imagináveis. Estes factos estão todos registados numa pedra, estando esta a testemunhar exactamente onde a maior das ofensivas ocorreu.

Dizem, imagine, que ele tem mesmo medo de pombos conforme a Arabica referiu. Sempre que um bando se aproximava mandava os seus lacaios afugentá-los. Infelizmente não é um pássaro comum daquela região por isso foi apenas segredo de alguns. Pinturas em cavernas relatam-nos esses episódios.

Acima de tudo não se deve confiar em qualquer afirmação de Rufus. Esse sanguinário atreve-se a declarar qualquer coisa em seu proveito. Por isso, suspeite até do prémio, apesar de merecido, porque talvez debaixo desse papel esteja o seu bando pronto a atacá-lo. Não se esqueça, acima de tudo é necessário precavermo-nos contra esse malvado porque ele não perderá a oportunidade para massacrar quem encontrar pela frente.

Que a paz fique convosco

Condensa Teresa Daqui e De Além Mar

Teresa Durães disse...

Ó solo sagrado
Quanto foi derramado
Do sangue dos filhos do Reino imortal
Por te invadirem,
Quantas vidas foram sacrificadas
Quantos golpes mortais foram consumados
Quantas casas arderam de alto a baixo
Para que fosse conquistado, ó solo!

Valeu a pena? Tudo vale a pena
Se Rufus, o sanguinário
For eleito no próximo reinado

Quem quer vingar o usurpador
Tem de usar a justiça com ardor
TREBARUNE inspira-nos com o seu terror
E de espada erguida venceremos o ditador.


Piu!

Teresa Durães disse...

o narrador está saturado dos actos de Rufus mas tem de continuar o diálogo

- Ah! Vermes, que se atrevem a erguer a voz contra mim! Não sabeis que a uma só palavra minha derrubarei os vossos corpos colorindo as águas do rio em tons avermelhados?

o narrador tem de introduzir mais uma personagem senão isto é um monólogo. Como este não se lembra do último nome que a rapariga adoptou, trata de chamá-la Sunua e obriga-a a entrar em cena apesar de ser contra a vontade dela

- Rufus. Chamaste-me.
- Sim, imbecil. Tenho ordens para te dar.

Sunua não o olha directamente para não o provocar

- Esta noite atacarás esta aldeia dos verdinhos. Essa gentalha terá de aprender de uma vez por todas quem devem temer.

- Massacrar a aldeia? Mas não passam de civis que nada nos fizeram!

Rufus solta uma gargalhada de desprezo

- E que importância tem isso? O ataque será comandado pelo camarada que é o meu braço direito. E nem te atrevas a contestar as suas ordens. Estamos entendidos?

Mais uma vez o narrador esqueceu o nome da outra personagem mas tenta ladear esse facto. Entretanto Sunua estremece

- Sim, como ordenas.

Sunua pensa

“Terei de ter o dobro do cuidado pois o outro está desejoso de espetar-me um punhal pelas costas”

- Agora vai preparar-te e quero-te na orla da floresta antes do último raio de sol desaparecer

(to be continue)

Arabica disse...

Piu...piu...piu!!!!


Essa personagem nova a Sunua parece-me demasiado impulsiva para nunca o olhar nos olhos :))

Contará a história assim tão bem narrada, as vezes que embora em inferioridade de força, se atreveu a olhá-lo nos olhos e a gritar "não, isso não farei e se tu o fizerdes meu sanguinário Geneal de Todo o Terreno e Além Poças irás ser consumido no fogo dos infernos da memória por mil anos?"

É que segundo os pombos me contam, a rapariga sem nome além de naiff viria a ser a famosa sétima avó da Padeira de Aljubarrota e tinha a veleidade e pretensão, já nesses tempos idos, de querer mudar o mundo desse planeta dominado pelo General Rufus...

:))

Teresa Durães disse...

No início era o verbo. Mas o narrador nunca soube conjugá-los bem para além de não ter qualquer importância na história que deve ser continuada. O narrador fartou-se de tomar a posição de Rufus e muda o cenário para a aldeia. Fala o chefe

- Os rebeldes têm estado calmos. Contudo não podemos baixar a guarda pois são traiçoeiros.

O narrador faz cair a noite provocando um estrondo enorme. Gritos por todo o lado enquanto um bando invade a aldeia e pega fogo aos telhados de colmo

- Homens, peguem rapidamente nas armas que estamos a ser atacados!

O cenário é desconcertante. Metal contra metal, gente que tomba. Contudo, o narrador não sabe o que escrever mais para além de ter de ir a uma reunião e não ter muito tempo para continuá-la. Dá a voz a Sunua

Eles são em maioria mas a raiva que toma conta de mim não pode ser travada. Avanço em fúria para o homem que se aproxima de espada em riste e aparo-a num instante. Punhal na outra mão e antes que haja reacção atiro-o com violência para o chão e trespasso-o. Derrubo, lacero, rasgo, mato sem que pare para pensar; não existe significado no que faço mas continuo a avançar e quanto mais o cheiro da morte chega até mim, maior a loucura que me toma. Num fôlego, o final.

O narrador, aborrecido por não ver um final nesta história interminável, chama apenas a atenção para a crueldade de Rufus. Conclui que não está inspirado – deve ser da chuva

Teresa Durães disse...

Arabica: Sunua realmente queria dar um berro e mudar tudo mas, coitada, como em muitos lados, não é bem sucedida. É que a criadora da personagem tem uma certa tendência para finais dramáticos lol

Arabica disse...

:) coitada da Sunua :) sem nome, sem sucesso, sem gabardine, sem chapéu de chva, sem General, sem final feliz, sem principe encantado, sem sapo :))


Espera lá. Mudou o cenário?


Sunua num ápice veste-se de Mary Poppins e......................


Supercalifragilisticexpialidocious


ora adeus :)

Lizzie disse...

Querido Irmão mais Verde entre os Verdes:

Pudera ter sido eu, Irmão,a escrever os dislates do velho criador...pudera ter sido eu.
Não sabeis dos meus tormentos. Logo que aqui cheguei na espectativa de encontrar o paraíso, sai-me hotelaria que em nada se parece a qualquer mero Sheraton. Diria mesmo que tem aparência baixa de farrusco Ibis à beira de estrada em zona industrial. Até na terra, lá em baixo, os pré-santos se alojam no Ritz e, enquanto esperam para subir, não desdenham o convento de Mafra e a magestade dos seus carrilhões.

E o Criador vociferou contra a minha qualidade de Santa quando me ouviu murmurar um lamentoso coño, depois de um espirro, que anda o céu, por causa do buraco no ozono, cheio de poeira. E crede-me, irmão, que os ácaros são filhos do Demo, alguns com aparência velada de 007.

Valeu-me a defesa do filho que, apesar dos seus 2009 anos, sempre tem uma mentalidade mais aberta. Ai de mim, que me pergunta várias vezes no dia celestial se não o acho de parecença com o Javier Barden e, eu, por caridade, lá lhe digo que sim, talvez em alguns quadros medievais, ou do Roault, passando por algum expressionismo.

E a minha colega Santa Guadalupe, moreníssima como é, acha-se igual à Penélope Cruz: solta o cabelo negro, despenteia-o e tem ataques de mau génio.

E não sei que se passa, que cada vez que o Arcanjo Gabriel lhe fala em cartas anónimas, sorri, matreiro, e diz que não são assuntos celestes.

E perdoai-me, mas foram-me concedidos uns dias de licença para uma ou outra aparição na terra.Será que poderei provar uns tais de camarões tigre? É que por aqui, irmão, só se come dieta, por via do nosso excesso de peso não fazer pressão nas nuvens provocando anticiclones nos Açores que logo aproveita o Imundo para mover superfícies frontais com acentuado arrefecimento nocturno, neve nas terras altas e aguaceiros alternando com boas abertas, ventos fracos a moderados sobretudo no litoral.

Não divulgueis, que sois de recato, mas o Criador encomendou ao meu artífice Versage, o traje que há-de levar à cerimónia dos Óscares, disfarçando-se de Woody Allen. Sem clarinete nem jazz.

Ah, Irmão, que também a eternidade envelhece...coño!

Eu te abenço-o e velo por ti.

Alien8 disse...

Arabica,

O General Rufus com liga e no Dr. Phil! Ah, se ele lê isso, estás feita. Não dou um cêntimo pela tua cabeça :)))

A Sunua, bem, anda por aí um narrador a dar uns ares da história dela. É uma rapariga notável!

Vale a pena também ler a opinião muito respeitada da Condessa Teresa. Ela sabe das coisas!

Para ti, obrigado por estares presente no meio desta confusão (!) e um abraço.

Alien8 disse...

Cara Condessa,

É um inegável acto de coragem vir aqui transmitir a verdade sobre Rufus o Malandro e o tratamento que deu a Sunua, e mostrar os podres daquele que agora se intitula General. A nossa admiração por Rufus tem limites... mas que ele não ouça isto!

Muito agradecemos o seu aviso. Vamos ter cuidado com o Prémio, já que nos lembrou dos presentes dos Gregos.

Nós, os titulares, sabemos bem as aleivosias de que são capazes plebeus daquele quilate!

Medo de pombos! Francamente! Columbofobia, será isso? Nós confessamos ter Colombofobia, mas isso é outra história :)

Vénia ainda mais rasgada (ai os nossos rins!).

Alien8 disse...

Elevadíssima Caturra,

Agora é o Pessoa que se vai arrepnder, a título póstumo, de alguma vez ter escrito!

É certo que o sanguinário Rufus não é digno de tal mensagem, mas que a forma faça esquecer o conteúdo!

Um taurom para Trebarune e outro para si. A menos que prefira uma Oilam. Cá para mim, é mais tenrinha!

Alien8 disse...

Teresa Narrador,

Ah, que este prémio de rever a narração, diálogos e legendas de Rufus, Sunua cujo nome mudou, o braço direito que ficou sem nome, o chefe que podia ser Cabura, os sangrentos combates, este prémio sim, é um prémio a valer!

Quando a aparentemente dócil e obediente Sunua passa à acção, credo!, nem os Anjos de Charlie! Eu é que não queria estar lá!

Entre a chuva e a reunião (eheh!), o narrador está, garanto, inspiradíssimo! "No início era o verbo. Mas o narrador nunca soube conjugá-los bem..." lololololol!

Mil obrigados por estas magníficas contribuições! E, se tiver uns troquitos, também se aceitam :)

Alien8 disse...

Santa Lizzie, Santa Lizzie,

Bem vejo daqui os seus tormentos, assediada pelo Filho e pela Santa Guadalupe e censurada pelo Pai por via de uma exclamação absolutamente natural no Paraíso. Que Diabo (ooops!), coño é Espanhol, e em Espanhol não há palavrões, há expressões coloridas. Por supuesto!

Mas o pior, o pior, é essa terrífica dieta. Afinal, isso chama-se Paraíso porquê? Poeira por causa do buraco do ozono, instalações rascas, má alimentação, boletins meteorológicos... bah!

Terei o maior prazer, quando descer à Terra, em partilhar os tais camarões-tigre, assim o permita o Arcanjo!

Agradeço a preciosa informação: Quando vir por aqui o Woody Allen, já sei quem é! :) A menos que traga o clarinete, e nesse caso é o legítimo.

Gratíssimo pela benção. Ando bem precisado, Santa Lizzie! Mais uma vénia (decididamente, os meus rins...)

Alien8 disse...

Hmmm... ora deixa cá ver...

Supercalifragilisticexpialidocious!

Vou verificar. Juro que não copiei.

Agora sim, um paste:

Supercalifragilisticexpialidocious

YES! :))))

Arabica disse...

:-D




Depois de ser despertada às 6 h. da manhã por um tal de trovão tão ameaçador que julguei ser Rufus a invadir este meio reino, nada como ter esta caixa de comentários onde sempre se pode "meter uma cunha" a S.Pedro, beber um café com uma Condessa e estabelecer contacto com um Alien :)

Tudo coisas de 3º grau :)


Beijos e risos

prof disse...

Caro Alien, comprei um Supercalifragilisticexpialidocious, digo, supertelescópio, para vasculhar o universo e garanto-lhe que, até agora, não encontrei um blog melhor que o seu; nem sequer equivalente:-)
Beijos

Alien8 disse...

Arabica,

Do terceiro grau para cima, obviamente :)))

Mas que maneira de despertar! Eu ouvi um desses, mas estava acordado...

Mais um cafezinho com a Condessa, se ela aparecer, senão fica sem ele :)

Um beijo.

Alien8 disse...

Prof,

Como sempre, as suas palavras são justas e verdadeiras, e a sua visão nitidamente telescópica :)

Venha, se o quiser, tomar também um cafezinho suoercalif---- isso tudo e etc...

Um beijo.

Teresa Durães disse...

Venho avisar que este prémio acabou de perder o prazo de validade. Assim, por favor, arranje um corrector e espalhe a tinta branca por cima dele de modo a que desapareça de imediato. Não são permitidas manisfestações pois isto é uma ditadura. Qualquer eventual embaraço, enfiar a cabeça na areia.

bettips disse...

É o que faz andar com a cabeça na lua ou ser um extra-terrestre!
Fraquinho? Até a "alpista" é requintada!
Cá eu, fraquinha como sou, gosto de me sentir igual aos meus preferidos. Assim, sem grandes arautos.
Beijinhos Alien

Arabica disse...

Alien


Cá ficam umas pequenas doses de Arábica com um abraço de robusta para incorpar o café para os convidados :))


e subindo para o chapéu...

Supercalifragilisticexpialidocious


:)

Rosalina disse...

...em atribuir-te a exclusividade de um prémio. :D

Alien8 disse...

General Rufus,

Escusa de se ocultar sob o nome da Teresa, porque sei bem - todos o sabemos - que só o general seria capaz de vir para aqui pôr prazos de validade nos prémios, como se fossem géneros alimentícios que se compram em supermercados. Ofendeu gravemente a honra da Caturra, que me concedeu o galardão e, pior ainda, quase me estragava o post seguinte, que iria ser exactamente acerca do... ahah!, depois verá, porque o vou fazer na mesma.

Que Trebarune o castigue!

Alien8 disse...

Teresa,

Quase a acabar o prazo de validade deste post :P, é altura de te dizer muito obrigado pela forma como entraste na brincadeira, assumindo três ou mesmo quatro (se contarmos com a tua) personalidades, todas elas divertidíssimas e bem construídas.

Um beijo.

Alien8 disse...

Bettips,

Tens toda a razão quanto à "alpista" :)

E quanto ao resto também: o low profile é que está a dar :)))

Um abraço.

Alien8 disse...

Arabica,

Delicioso, esse café!

E com a ajuda do chapéu, ainda voas, (quem sabe?) mais alto que a caturra:)

Alien8 disse...

Rosalina,

E o prémio também, já agora, que só a exclusividade não me chegaria para nada :))))))

Teresa Durães disse...

Quando eu desejar entrego prémios
Mesmo que andem aos gritos
Berrem, zanguem-se, soltem rugidos
Chamem todos os advérbios

Porque o prémio é para quem pretendo
Engalanado
Ataviado
Até a um Alien dou o que entendo
E eu decidi
Que fica aqui



Piu!

Teresa Durães disse...

Rufus tira o camuflado e diz

- Quem ousa denunciar os planos que não desvendo, minhas ambições sem fundo?

Murmúrios, olhares esquivos e por fim silêncio. Avança o seu braço direito

- Não houve traição, descobriram-te apenas. O que querias quando tentavas passar por uma tal de Teresa?

Rufus dá três passadas, furioso, olha o bando de trastes que tem pela frente, desembainha a espada e estende-a na direcção do céu

- De onde vem a força que confronto, de quem são as espadas que vejo e ouço?

E dizem os homens em coro

- De ninguém, de ninguém!

Quatro avançam e abrem os braços

- Amo e senhor, serás sempre invencível.

Os homens juntam-se num só grupo enquanto Rufus vira-lhes as costas

- Quem ousa boicotar os planos que desenho, que moro onde nunca ninguém me visse e faço temer quem me enfrenta?

Os homens desembainham as espadas, cruzam-nas e respondem em coro

- Estarás sempre a salvo porque daremos a vida por ti. Apanharemos esse traidor que implorará pela sua vida!

Rufus três vezes gritou de fúria, três vezes calou-se, e disse no fim

- Ao comando sou eu, todo o poder é meu! E mais do que os desprezíveis aldeões que nunca temi, manda a espada sangrenta dar cabo da perfídia!

Cai o pano, os homens suspiram de alívio por não terem de mentir mais enquanto Rufus já está a preparar outra força para alargar os seus domínio

Teresa Durães disse...

Conde Alien8:

Peço perdão só agora ter aparecido mas, como deve imaginar, ando sempre muito ocupada. Ontem estive a distribuir a sopa aos pobres e ainda hoje visitei um orfanato. Ah!, coitadinhos daqueles miúdos apesar de estarem muito sujos. Levei-lhes o meu melhor sorriso e penso que se animaram.

Quanto a essa farsa de Rufus, ah! não temeis, estou certa que a força da nossa razão sempre o vencerá.

Mil desculpas por ter de novo ir embora, assim tão repentinamente

Condessa Teresa daqui e Dalém Mar

Teresa Durães disse...

Alien8: Sabias que Erich Maria Remarque (ou Remark) é um dos meus autores favoritos? Li os livros todos dele em português (são onze, não sei se publicou mais mas sempre senti existir uma injustiça de não ter escrito mais). Ainda dei, nos meus tempo onde eu era novinha, uma volta por Sven Hassel e Kirst. Devo ser mesmo muito bélica para gostar de escrever coisas que envolvem armas de qualquer tipo lol

Um livro sobre guerra não seria uma má ideia mas não a vivi, seria estranho. E será que mesmo que tenha lido (quase) todos os romances sobre a 2ª guerra mundial, isso dá-me experiência?

Alien8 disse...

Teresa / Caturra,

YES! Fica aqui mesmo. E acabo de o ACEITAR! Agora, espero que não lhe aconteça nada de mal... ao meu lindo prémio:)

Desta vez, a la Mário de Sá Carneiro! Excelente!

Só não gostei daquele "até a um alien"... mas não se pode ter tudo, não é? :)

Alien8 disse...

Ah, Rufus, general que eu tanto considerava, agora anda numa de Pessoa com laivos do Garret do Frei Luís de Sousa, mas o que o define melhor é mesmo o MOSTRENGO!

Ahahahahahah! (riso cavo e profundo)!

Não lhe chegava a liga, agora deu mesmo em travesti! Puff! Ó general, quer-me parecer que já nem sabe onde tem a cabeça! Ah, pois não, cortou-a e provavelmente enterrou-a na areia. Que tristes propósitos!

Que Sunua mergulhe o punhal nas suas entranhas, não nas dela, porque afinal... o único traidor
aqui chama-se Rufus!

O tempora, o mores! Que o touro seminal lhe dê umas valentes cornadas, que é para ver o que é bom!

Traste! Malandro!

Alien8 disse...

Caríssima Condessa,

Compreendemos a Vossa ausência, pois que não ignoramos os inúmeros afazeres beneficentes em que tão pródiga sois!

Os miúdos sujos são uma pessegada, realmente, mas bem vejo que a Vossa face sorridente, ainda mais do que a sopa, os alegra e ilumina - e, quem sabe, talvez venha mesmo a incutir-lhes algumas elementares normas de higiene, senão a ASAE (não sei se já ouviu falar dessa gentalha...) ainda Vos proíbe de lhes distribuir a sopa.

Beijo-Vos as mãos em sinal de gratidão pela solidariedade contra aquele abjecto General Rufus. Sim, a força da nossa razão haverá de vencê-lo, e a vergonha será o seu maior castigo!

Impossibilitado já de sequer esboçar a vénia do costume, por aqui me fico, Cara Condessa.

Alien8 disse...

Teresa,

Saber, não sabia, mas... palpitou-me! Afinal, A Oeste nada de novo, não é? :) Ou seja, conhecendo a qualidade dos teus textos sobre guerras e batalhas e a tua apetência para descrever carnificinas e inventar finais catastróficos, não posso dizer que tenha ficado surpreendido...

Li alguns livros dele, não todos.

Não sei se és bélica :), mas sei que a experiência de guerra faz falta às crónicas e, convenhamos, algum jeito aos romances. Porém, está longe de ser imprescindível: o que se leu, o que se ouviu contar e a imaginação, juntamente com a tal apetência e a capacidade narrativa chegam, na minha humilde opinião, para que se escreva sobre a guerra - e bem. Acho que te safavas :)

Um beijo.

mar disse...

E eu no meio de tanto comentário, já nem sei o q dizer........

olha, bom rest de semana :)

Njs

Alien8 disse...

Bom fim de semana (quase, Mar!). Beijinhos!