Aliencake

Foi numa tarde de sábado, de encontros, reencontros e desencontros, de estreia literária e café, tudo prolongado em noite, jantar e mais café, ficando no entanto curto o tempo. De súbito, aparece-me pela frente um bolo com a minha cara. Um bolo com rosto de Alien. Olhei-o uma e outra vez, e só não me belisquei porque dói um bocado, convenhamos. Mesmo a aliens. As pessoas cantavam os parabéns e batiam palmas, eu ouvia e agradecia, mas mal tirava os olhos do bolo. Fizeram-me pegar nele com uma mão, perante a apreensão de alguns circunstantes, e conduzi-lo, ou deixar que me conduzisse, à mesa improvisada. Vivendo desde sempre em terrível dúvida sobre a minha origem e condição, houve um instante luminoso em que tudo se revelou. "Sou um bolo, afinal sou um bolo!" - exclamei para mim mesmo, entre alguma perplexidade e o alívio de uma certeza há muito tempo aguardada. Foi sol de pouca dura. Lá tive que partir o bolo. Lá tive que me cortar à faca em fatias que rapidamente desapareceram. Ao que parece, estava bom, eu. O facto é que, apesar disso, ainda estou vivo. Não serei, então, um bolo? Serei apenas a recordação dele? Felizmente, a fotógrafa estava lá. Serei assim talvez a fotografia de um bolo. Há piores destinos. Há piores fins de tarde-noite de sábados de lançamentos de livros, encontros, reencontros, desencontros, jantares, cafés, aniversários e ainda mais. Muito, muito piores, garanto-vos.

7 de jan de 2009

Pois...

- Good vibrations, good vibrations... Não seria já tempo de fazeres outro post, ó preguiçoso?
- Olha, acho que vou fazê-lo aos bocadinhos. Amanhã ou depois haverá mais. Sem comezainas. Hoje fico por aqui. Nem fotos, nem vídeos.
- Bem... se calhar estás a inventar uma maneira nova de postar...
- Pois...

(8-01)

- Teresa, patinar até nem é mau, dependendo do tipo de patinagem... a que dá direito a balda devia ganhar medalha de mérito, não achas?

- ........................

- Mar, isso tudo, isso tudo, ou mais ou menos.

- .........................

- Se calhar pensavas que te respondiam! Não andas bom da cabeça, não...
- Eu sou um crente, pá! Vais ver que ainda me respondem. E não achas bonito falar com as pessoas aqui, em vez de naquela estúpida caixa de comentários?
- Hmmm.... olha, se as pessoas pudessem escrever aí, talvez concordasse. Mas não podem, sabias?
- És sempre o mesmo desmancha-prazeres! Queres uma imagenzita, queres?
- Era uma ideia...
- Pois então fica com a ideia. Isto é, IMAGINA!
- Bah!
- Pois...

(to be continued).

(9-01) - Revisto e melhorado (ahem!) já em 10-01.

- Tenho que dizer à Wind que isto é a originalidade da preguiça...
- O que tu queres dizer é que a preguiça dá frutos. Malandro, e com a mania da esperteza!
- Dá, dá pessegadas.
- Ou alternativas eleitorais proporcionadas pela Prof. É que, sabes, fui eu que pedi a outra hipótese.
- Claro, claro, e saberás dizer à AlienDS o que vai saír daqui?
- Hmmm.... deixa-me pensar... não!
- E saberás dizer à Teresa se este diálogo é feito ao espelho?
- Diálogo? Ah, isto é um diálogo! Hmm, está bem. Tinha a vaga ideia de que era um solilóquio...
- Estás a confundir com um post gâmbico da Lizzie, a dos diálogos bilingues.
- É, a moda agora pegou. Mas em Português e Castelhano, enfim, gente fina é outra coisa!
- Ah, e então em Catalão?
- Li um texto, sim. No regresso da tia.
- E onde fica isso?
- No Google. Links aqui, jamé!
- E a Teresa?
- Que fique com a teoria da patinagem em três pontos, principalmente a parte em que aconselha "nem tentar". E com a Alice.
- Do outro lado...
- Isso.
- E então, como se traduz o vento em palavras?
- Isso parece da Arabica, a das perguntas difíceis.
- E é. Respondes?
- Claro! Wind. Vent. Wind que se lê Vind. Viento. Vento que se diz com as mãos. Queres mais?
- Olha, nem por isso. Só se fosse em Chinês.
- Por acaso até sei, mas não tenho aqui os caracteres. Mas é assim como que uma onomatopeia: Uuuuuh... Uuuuhuuuuh.....
- Sim, estou a ver. E se dissesses qualquer coisa de jeito?
- "Quem poderá domar os cavalos do vento?" Ora aí tens outra pergunta difícil.
- Ah, o vento anda a cavalo?
- Anda, pois. A caballo, coño de 8neilA verdito con ojos rojos.
- Quê????
- Esquece. O Legível que vá para a tropa, que é para aprender a não deixar de postar...
- E a não contar as palavras.
- E fica condenado a ouvir o Universal Soldier pela Buffy Sainte-Marie, pelo Donovan e pelo outro gajo.
- Há pior...
- Bem sei. Como aparecerem-me diálogos na caixa dos comentários, e eu não saber o que fazer com eles. Então quando inventam un gatito escreviente... estou tramado!
- Olha, fica com os soldadinhos de chumbo, a ver se te defendem...
- Ah, e também são universais?
- Mas haverá coisa mais universal que os soldadinhos de chumbo?
- Há, sim! Os patos brancos de plástico com bico amarelo. (Ou seria laranja? Pato com laranja, hmmm.... bolas, eu prometi que não haveria comezainas. Caracteres chineses, pato à Pequim, cala-te boca! E fecha-te!)
- Não me digas. E falam?
- Alguns, sim. Dizem agrandate niña e outros mimos que não ficariam bem aqui, que isto é uma casa séria.
- Bom, disto tudo, com que ficas?
- Com o vento, claro. Mais as hipóteses eleitorais. E os beijinhos alienígenas. O jeito natural para a patinagem. Los locos simétricos y bilaterales. A medalha por escrever menos.
- Essa já não levas. Olha só o que para aí vai de escrevinhações!
- Levo tudo. Como o vento viento vent wind mai-los seus camelos.
- Cavalos, pá, cavalos!
- Ou isso.
- Já perdeste o fio à meada, não?
- Pois...

(to be DIScontinued).

(10-01)

- Surrealista. Espectacular. Comício...
- E bebício, não te esqueças do vinho quente!
- Claro. Está na hora de montar no tapete voador e zarpar deste post. Digo eu.
- Vou nessa.
- Pois...


16 comentários:

Teresa Durães disse...

Já vi que agora recuperaste a habitual velocidade a publicar post. Mas de que serve correr? Como diz ali em cima, cai o gelo e arriscamo-nos a patinar em cima dele. E as quedas não são coisa de ignorar. Quebramos uns ossos, baldamo-nos ao trabalho e sentamo-nos (de pé levantado) numa confortável poltrona. (afinal não deve ser assim tão mau...)

mar disse...

Ou seja andemos ambos, ou bué preguiçosos, ou sem tempo, ou sem ideias.... ou sei lá o quê..... :)

Bom ano de 2009 para ti e para os teus


Bjs

mar

wind disse...

Gargalhadas, fizeste-me rir.
Excelente originalidade de fazer um post:))))Parabéns:)
Beijos

prof disse...

pronto, já tem alternativa que desejava :-)
o mesmo pudesse eu afirmar no dia das eleições...

Alien David Sousa disse...

LOL

O que vai sair daqui maninho???

Beijinhos alienígenas

Teresa Durães disse...

ah! o meu jeito natural para patinar é do melhor!

Técnica nº 1: agarrar-me às laterais para não cair

Técnica nº 2: Agarrar-me aos patinadores para não cair

Técnica nº 3: Nem tentar!

Eu até fornecia uma imagem minha (a cair) se não me escondesse das camaras como habitualmente. Só mesmo de surpresa.

Este diálogo é feito ao espelho?

Arabica disse...

Alien,


...como se traduz o vento em palavras?




Queres um dos meus soldadinhos de chumbo?


Abraço, Alien.

élis/lizzie disse...

-Oh Élis, olha para o que lhe deu
- vale Lizzie,pues para mí tiene ingénio el hombre
-não é um homem
-qué coño es entonces? un gatito escreviente con sus patitas en la ordenadora??
-é um e.t.
-no no, este és más guapo!
-com ataques de pedofilia outra vez?
-ay, la hostia, a mi me gustan los verditos con ojos rojos
-mas, ó anormal, ali está um diálogo portanto são dois
- pués claro! solo los locos hablan cómo dos, verdad?
- logo, um é o Alien8 e o outro?
-el outro es el 8neilA.Pues bon fin de semana a los dos!
-é o que eu também lhes desejo! Já agora para ti também!
-Gracías!

legivel disse...

- Como vês não és só tu que te baldas à blogosfera. Olha o Allien8...

- Está bem, já percebi que não sou único. Mas eu estive muito mais tempo que ele sem editar um texto.

- Pois. pelos vistos queres uma medalha por isso, não? Ah! essa tua mania de seres mais que os outros...

- Não é nada disso! No caso até sou menos porque... escrevi menos, entendes?

- Maravilha! Agora deste em contar as palavras que escreves e as dos outros também. Com franqueza!

- É pá! contigo não se pode falar que desconversas a toda a hora! Vou mas é ouvir o Universal Soldier mais uma vez...

- Tu devias era ir para a tropa.



abraço.

Arabica disse...

:-D


surrealista.


E a continuar assim, ainda os cavalos alados, os patos falantes, os camelos das arábias e os tapetes voadores hão-de fazer um comicio sobre as alternativas que não ns restam :)


Lá, uma menina, que, mais que uma alternativa, é uma esperança urgente.


Abraço de 6ª à noite :)

E com este frio, bem que apetecia (um ainda quente) vinho :))

wind disse...

Está espectacular!:))))
Beijos

Arabica disse...

Alien


Li e concordo em absoluto com tudo.


Palavra a palavra.


Até com as virgulas.


E os pontos finais.


Não me dês a mim.

Não mereço tal.

A Omer, sim ( e ainda os nossos bons pensamentos e boas vibrações :))

E tantos, tantos outros, anónimos, por esse mundo fora.

Mais m abraço :)

prof disse...

?
!
...

Arabica disse...

Onde????????

bettips disse...

Mas qualende cual carapuça ... a brincar andamos falados mas pensamos coisas sérias.
E somos tão poucochinhos ...
Também não queremos a never ending story mas a mesa do costume, com gente a rir, gatos falazes
e bons rapazes.
Pombas para o espírito santo
da pureza inicial.
E como falas em branco
só nos resta o que é fatal:
que revejas o projecto
dos profs e avaliações
e nos venhas, bem desperto,
servir-nos as refeições...
com teu toque sideral!

Tomai lá, queridos marcianos!
Bjinhos

Alien8 disse...

Bettips,

:)))))))))))))))))))))))))

Beijinhos para ti!