Aliencake

Foi numa tarde de sábado, de encontros, reencontros e desencontros, de estreia literária e café, tudo prolongado em noite, jantar e mais café, ficando no entanto curto o tempo. De súbito, aparece-me pela frente um bolo com a minha cara. Um bolo com rosto de Alien. Olhei-o uma e outra vez, e só não me belisquei porque dói um bocado, convenhamos. Mesmo a aliens. As pessoas cantavam os parabéns e batiam palmas, eu ouvia e agradecia, mas mal tirava os olhos do bolo. Fizeram-me pegar nele com uma mão, perante a apreensão de alguns circunstantes, e conduzi-lo, ou deixar que me conduzisse, à mesa improvisada. Vivendo desde sempre em terrível dúvida sobre a minha origem e condição, houve um instante luminoso em que tudo se revelou. "Sou um bolo, afinal sou um bolo!" - exclamei para mim mesmo, entre alguma perplexidade e o alívio de uma certeza há muito tempo aguardada. Foi sol de pouca dura. Lá tive que partir o bolo. Lá tive que me cortar à faca em fatias que rapidamente desapareceram. Ao que parece, estava bom, eu. O facto é que, apesar disso, ainda estou vivo. Não serei, então, um bolo? Serei apenas a recordação dele? Felizmente, a fotógrafa estava lá. Serei assim talvez a fotografia de um bolo. Há piores destinos. Há piores fins de tarde-noite de sábados de lançamentos de livros, encontros, reencontros, desencontros, jantares, cafés, aniversários e ainda mais. Muito, muito piores, garanto-vos.

8 de abr de 2006

Hoje, vá-se lá saber porquê, apetece-me pôr aqui o princípio do Manifesto Anti-Dantas...



MANIFESTO ANTI-DANTAS E POR EXTENSO

por José de Almada-Negreiros

POETA D'ORPHEU, FUTURISTA e TUDO



Basta pum basta!!!

Uma geração que consente deixar-se representar por um Dantas é uma geração que nunca o foi. É um coio d'indigentes, d'indignos e de cegos! É uma resma de charlatães e de vendidos, e só pode parir abaixo de zero!

Abaixo a geração!

Morra o Dantas, morra! Mão.jpg (2277 bytes)Pim!

Uma geração com um Dantas a cavalo é um burro impotente!

Uma geração com um Dantas ao leme é uma canoa em seco!

O Dantas é um cigano!

O Dantas é meio cigano!

O Dantas saberá gramática, saberá sintaxe, saberá medicina, saberá fazer ceias pra cardeais, saberá tudo menos escrever que é a única coisa que ele faz!

O Dantas pesca tanto de poesia que até faz sonetos com ligas de duquesas!

O Dantas é um habilidoso!

O Dantas veste-se mal!

O Dantas usa ceroulas de malha!

O Dantas especula e inocula os concubinos!

O Dantas é Dantas!

O Dantas é Júlio!

Morra o Dantas, morra! Mão.jpg (2277 bytes)Pim!

................ ................... ...................

11 comentários:

wind disse...

Pim! Não sei porquê mas este poema parece-me actualíssimo e é genial! beijos

Alien8 disse...

Wind,
Pois parece :) Mas não é um poema, como pode parecer pelo início: é mesmo um manifesto. Sou capaz de continuar a reproduzi-lo aqui, em outros posts.
Beijos e boa noite.

wind disse...

Obrigada pelo beijo anti mau humor:) Sei que é um manifesto. Tenho no pc uma gravação do mesmo dito por Mário Viegas;) beijos

Alien8 disse...

Wind,
Também eu tenho :)
Beijos.

spartakus disse...

eu gosto é daquele PIM, tão rikorrente no meu bilogue e eles nem sonham keu tou a pilhar...coisa linda, ups. morra PIM ! inoculações ka gente bem precisava. abraços.

maloud disse...

Pelos vistos toda a gente tem dito pelo Mário Viegas. Andamos a copiar-nos uns aos outros sem nos conhecermos. E agora. Leu o Dantas?

Alien8 disse...

maloud,
Bem vinda!
Pois é, coisas da blogobola.
O Dantas, Júlio? Li alguma coisa, confesso. Não fiquei cliente.

maloud disse...

Eu li A Ceia dos Cardeais e parti-me a rir. Foi para aí há 40 anos.

Alien8 disse...

maloud,
Pois, foi também o meu caso. Mas ainda melhor é "A Severa", que tive o privilégio de ouvir na rádio. Aquilo é mesmo de faca e alguidar, caramba!

Cila disse...

otimo post:) fez-me sorrir:) voltar a ver este poema.
beijos

alien8 disse...

Era essa a ideia. Fazer sorrir :)
Beijos.