Aliencake

Foi numa tarde de sábado, de encontros, reencontros e desencontros, de estreia literária e café, tudo prolongado em noite, jantar e mais café, ficando no entanto curto o tempo. De súbito, aparece-me pela frente um bolo com a minha cara. Um bolo com rosto de Alien. Olhei-o uma e outra vez, e só não me belisquei porque dói um bocado, convenhamos. Mesmo a aliens. As pessoas cantavam os parabéns e batiam palmas, eu ouvia e agradecia, mas mal tirava os olhos do bolo. Fizeram-me pegar nele com uma mão, perante a apreensão de alguns circunstantes, e conduzi-lo, ou deixar que me conduzisse, à mesa improvisada. Vivendo desde sempre em terrível dúvida sobre a minha origem e condição, houve um instante luminoso em que tudo se revelou. "Sou um bolo, afinal sou um bolo!" - exclamei para mim mesmo, entre alguma perplexidade e o alívio de uma certeza há muito tempo aguardada. Foi sol de pouca dura. Lá tive que partir o bolo. Lá tive que me cortar à faca em fatias que rapidamente desapareceram. Ao que parece, estava bom, eu. O facto é que, apesar disso, ainda estou vivo. Não serei, então, um bolo? Serei apenas a recordação dele? Felizmente, a fotógrafa estava lá. Serei assim talvez a fotografia de um bolo. Há piores destinos. Há piores fins de tarde-noite de sábados de lançamentos de livros, encontros, reencontros, desencontros, jantares, cafés, aniversários e ainda mais. Muito, muito piores, garanto-vos.

3 de jul de 2008

Leo Ferré - La solitude e Carmen Amaya no filme Maria de la O, de 1939

Ok, Teresa, eu sei que o Francês, etc. e tal... mas o Leo Ferré é essencial.
Podes sempre ligar o Bowie, aqui ao lado:)




À Lizzie, agradeço a ideia que o texto no "...e, já agora..." me deu para acrescentar este segundo vídeo.

32 comentários:

Lizzie disse...

Olhe que contraste!

É interessante verificar como os tocaores têm que andar "atrás" dela, como lhes dá as indicações para o ritmo. Foi uma das suas inovações. Mais um dos seus variados comandos.

(Nos vídeos em que dança de calças, mais velha e mais segura,é um regalo ver quem manda e como entra no improviso.)

E repare no ataque de fúria que lhe dá por volta dos 2 minutos. E na espantosa velocidade. Foram de facto duas marcas que sempre a acompanharam.

E, já agora, o fogo era tanto que, dois dias antes de morrer, ainda dançava da mesma forma: com arranques demoniacos.
Como se vê aí num vídeo dos Tarantos, a cores (honenage a Carmen Amaya),de vez em quando senta-se e...faz o taconeo com as mãos em cima da mesa.

Se isto não é ter fervura no sangue, não sei o que será.

Obrigada, Alien

Lola disse...

Alien,

Muito bom este post, com música e dança particularmente interessantes.

Leo Ferré ao piano a falar de solidão...

E a Carmen a dançar e a fazer-me lembrar dos meus ciganos da Figueira...

Belíssimo.

Beijos

Vanda disse...

Ver um grande espectaculo de flamenco é algo que tenho ainda de concretizar!


O mais marcante que assisti, incrivel, apaixonado e vibrante, foi oferecido por um estranho sem nome,numa rua de barcelona!

Num tempo de adiar a solitude :)

casa de passe disse...

nós, lá pela nossa casa, costumamos dansar com espanhois danças flamencas. (é preciso é que o João não veka).



(Loulou + Nini sem a Alice e muito menos o João)

Alien8 disse...

Lizzie,

Dizia o Alfredo Marceneiro aos guitarristas: "Vocês pensam que acompanhar o Marceneiro é o mesmo que comer batatas com bacalhau?? Toca a dar-lhe como deve ser! Atrás de mim, e depressa!".

O Marceneiro cantava, frequentemente, "desenquadrado". E quem quisesse que o agarrasse.

A Carmen Amaya, ao dançar, comandava os "tocaores", como fiquei a saber pelo seu comentário. Não me escapou a velocidade estonteante, nem a fúria e o fogo. Não conheço o vídeo de que fala: Mais um para procurar...

Sim, aquilo é ter fervura no sangue. É a expressão exacta.

Obrigado sou eu.

Alien8 disse...

Lola,

Os teus ciganos, pois... incluindo o rei:)

São dois vídeos completamente diferentes, qual deles o melhor...

Ainda bem que gostaste do post.

Beijos para ti, e que nunca te faltem as pernas.

Alien8 disse...

Vanda,

Felizmente, já vi. Mas gostaria de ver mais. O Leo Ferré, nunca o vi ao vivo, e já não posso ver. Dos franceses, que muito aprecio, apanhei o Georges Moustaki e o Serge Reggiani (um de origem grega, o outro de origem italiana:). E, já quase em fim de carreira, o Gilbert Bécaud. Quem me dera ter visto o Brel (pois, era belga, mas francês na música), o Brassens, o Mouloudji, a Nana Mouskouri, a Piaf, a Colette Magny, o Jean Ferrat, o Maxime Le Forrestier, O Gerard Lenormand, o Julien Clerc, a Pia Colombo, o Charles Aznavour (não pude ir vê-lo quando aqui esteve recentemente, já com 83 anos...) e outros, muitos outros (e outras). Estilos diferentes, tipos de música diferentes, mas todos me agradam.

E assim se sdia a "solitude". Sine die!

Alien8 disse...

Casa de Passe,

É um belo hábito, que não posso ter. Falta-me qualquer coisa. Chamemos-lhe jeito.

Bernardo Kolbl disse...

Bom fim de semana.

Lizzie disse...

Alien,
não conhecia essa tirada do Marceneiro, mas sei que essa do bacalhau com batatas era muito utilizada no meio.
Os meus familiares (os portugueses) boémios, contavam que a Hermínia Silva quando estava com os azeites e não queria responder ao que lhe preguntavam dizia exactamente isso "bacalhau com batatas"!
E acabava-se a conversa.

Já lhe deixei as indicações para o tal vídeo, lá no meu sítio.
Vou pôr aqui também:

Vê-se este, quando acaba, na barra em baixo está 1-7 of 14;
por cima do 14 está um quadradinho a cores; passando o cursor aparece homenaje a carmen amaya, clica-se e ...arrepie-se.

Como disse lá, foi a última dança.

Bom fim de semana

Alien8 disse...

Bernardo Kolbl,

Obrigado Bom fim de semana para ti também.

Alien8 disse...

Lizzie,

Muito obrigado pelas indicações! Encontrei o vídeo no número 4. Encontrei ainda duas versões da Maria de La O, mas nenhuma delas pela Carmen Amaya. O número 13 por Marife de Triana, o número 7 por Maria Vidal.
Também descobri que o Caetano Veloso canta isto...
A última dança é realmente de arrepiar.

A despropósito, sabe que é facílimo pôr estes vídeos nos seus posts, não sabe? Quanto ao "remédio", lá o deixei no ex-Cuore... para o que der e vier...

Bom fim de semana.

wind disse...

Espectacular post!
Adoro Leo Ferré e Flamenco:)
Obrigada:)
Beijos

Vanda disse...

Alien,

também nunca vi qualquer deles :(

...mas as suas músicas povoam as nossas memórias...e que belas músicas!!!

Quanto às férias, como podes ver, foram um bom desassossego :)as pilhas duracel, que mal tinham tempo de carregar de noite, tiham que estar frescas logo pela manhã :) e não estou a falar de fotos :))


Beijos e um belissimo fim de semana!

Emma Larbos disse...

Pelos cantores franceses, Ferré incluído, não morro de amores. Tirando a Piaf, dão-me sempre a nostalgia da decadência. Agora assim, temperado com Amaya estonteante, qualquer francês parece um bacalhau com batatas temperado com molho picante (ou será um goraz?)

Alien8 disse...

Wind,

E que tal a mistura? :)
Obrigado e um beijo.

Alien8 disse...

Vanda,

Totalmente de acordo quanto às memórias e às músicas.

As tuas férias parecem ter sido uma coisa agitadíssima. Já estou cansado só de ler:)))

Haja pilhas!

Um óptimo fim de semana para ti também, e um beijo.

Alien8 disse...

Emma,

Quanto aos cantores franceses, lamento que não goste. A mim dão-me outras impressões, mas gostos são gostos, como dizia o outro.

Tenho de concordar, no entanto, com o tempero da Carmen Amaya.

É claro que é um goraz :)

Bom fim de semana!

mar disse...

Há musicas imtemporais.
E, por tua causa, tive que ligar o som do meu pc q está sempre em off :)

resto de um bom domingo :)*****

Haddock disse...

imagine-se o estrago que não faria se irritada... pobre ladrilho!! (e diz a lizzie que aqui estaria "insegura", a capitona?!?)

Madame Maigret disse...

je suis un peu confuse...

Alien David Sousa disse...

Maninho, como sempre dás pérolas aos humanos ;)

Beijinhos alienígenas

Alien8 disse...

Haddock,

Grato pela visita. Tenho de concordar consigo, pobre ladrilho! :)
Boa semana.

Alien8 disse...

Madame Maigret,

Mais pourquoi? Ce n'est qu'une salade russe.... ou une caldérade, si vous préférez. Vuálá.

Alien8 disse...

Mana,

Estás má, hoje. Isso não se diz! Hehehehehe! Beijinhos alienígenas.

Alien8 disse...

Mar,

Se te fiz ligar a música no PC, então já cometi uma boa acção :)))
Belíssima semana ***

Belzebu disse...

Obrigado por este bocadinho. Já tinha saudades de ouvir Leo Ferré. É provavelmente um dos dos maiores músicos franceses do séc.XX.

Aquele abraço infernal!

Teresa Durães disse...

vim atrasada...
ainda não ouvi que aqui não posso. com mais calma à noite (françês? bolas!)

Alien8 disse...

Belzebu,

Concordo. E tem também magníficos poemas.

Abraço alienígena!

Alien8 disse...

Teresa,

Nem só Francês. Desta vez tens mais escolha. O que eu não faço por ti :P
Beijo.

bettips disse...

Esse vento nos cabelos do tempo... Bjinho

Alien8 disse...

Bettips,

Exacto :)

Beijo.